Youtuber, amante da natureza, descobre uma nova espécie de tarântula, que vive em bambus

Youtuber, amante da natureza, descobre uma nova espécie de tarântula, que vive em bambuzais

Ela é bem peluda, mas diferente de outras tarântulas, surpreendentemente, vive dentro de bambus. E ela representa não apenas a descrição de uma nova espécie, mas também de gênero*. Todavia, a principal curiosidade sobre essa descoberta para a ciência é que ela foi feita por um youtuber famoso, amante da vida selvagem.

O tailandês JoCho Sippawat, que tem quase 2,5 milhões de seguidores em seu canal no YouTube, se deparou com a tarântula durante uma viagem a uma floresta perto de onde ele mora em Mae Tho, na província de Tak, no noroeste daquele país. Ele enviou a imagem do aracnídeo para o aracnologista Narin Chomphuphuang, pesquisador da Universidade de Khon Kaen, que logo percebeu que se tratava de uma nova espécie.

O cientista só teve a confirmação da descoberta depois que viajou até o local onde a tarântula foi observada pelo youtuber. Diferentemente de todas as outras espécies descritas pela ciência, ela tem seu habitat em bambuzais. Seu nome científco é Taksinus bambus, uma homenagem ao rei da Tailândia, no século 18, Taksin, o Grande.

“Este é o primeiro caso de um gênero de tarântula que mostra a surpreendente habilidade de viver em talos de bambu”, revelou Chomphuphuang em seu blog. Ele explica que a planta é importante para esta tarântula, não apenas em termos de estilo de vida, mas também porque só pode ser encontrada em florestas altas no norte da Tailândia, a uma altitude de cerca de 1.000 metros. “Não é exagero dizer que agora são as tarântulas mais raras da Tailândia”.

Ainda segundo o aracnologista, o bambu contém umidade que ajuda a aranha a manter sua temperatura – especialmente importante para as tarântulas -, que mudam e perdem seu exoesqueleto. A superfície escorregadia do bambu também as ajudam a se proteger dos predadores.

A grande maioria das aranhas do sudoeste asiático é encontrada no solo ou em árvores.

Buraco no bambu onde tarântulas foram encontradas

*Gênero constitui um conjunto de espécies, já o termo espécies é empregado para designar um grupo de seres vivos muito semelhantes e capazes de se reproduzir entre si.

Leia também:
Cientistas descobrem uma nova e rara espécie de aranha, parente da tarântula
Considerada praticamente extinta há mais de 20 anos, uma das maiores aranhas do Reino Unido é redescoberta
Dança do acasalamento das aranhas-pavão é sucesso na internet
Nativa na Ásia, aranha gigante se prolifera no estado americano da Geórgia

Fotos: JoCho Sippawat

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta