PUBLICIDADE

Tietassaura: ossada mais antiga achada na América do Sul é de espécie que viveu na Bahia há milhões de anos

Tietassaura: ossada mais antiga achada na América do Sul é de espécie que viveu na Bahia há milhões de anos

Para os brasileiros nem é preciso explicar o porquê da escolha do nome. Quem nunca ouviu falar em uma das personagens mais famosas do escritor baiano Jorge Amado, “Tieta do Agreste”? Pois é em homenagem a ela e seu criador que paleontólogas brasileiras nomearam uma nova espécie de dinossauro que viveu no Período Cretáceo no que hoje chamamos de Bahia.

Batizada cientificamente de Tietassaura derbyiana, mas chamada carinhosamente apenas de Tieta, a nova espécie foi descrita a partir de ossadas coletadas entre 1859 e 1906 por naturalistas britânicos na bacia do Recôncavo Baiano, principalmente em terras indígenas de Massacará e llhas. Todavia, os fósseis tinham ficado “esquecidos” na coleção do Museu de História Natural de Londres.

Até que uma brasileira, que estava fazendo doutorado na capital inglesa, a paleontóloga Kamila Bandeira, do Instituto de Biologia Roberto Alcantara Gomes, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), se deparou com a ossada no museu e decidiu estudá-la.

Segundo os pesquisadores envolvidos na análise, considerada a mais antiga descoberta até hoje na América do Sul, a Tietassaura pertence ao grupo dos ornitísquios, uma ordem de dinossauros herbívoros que têm entre as principais características o focinho em forma de bico e por uma estrutura de pélvis que se assemelha à das aves. Estima-se que ela tivesse entre 2 e 3 metros de comprimento.

“Os achados descritos nesta pesquisa representam, não apenas uma das faunas de dinossauros mais diversas deste intervalo de tempo, mas também uma descoberta histórica importante. As ocorrências de dinossauros em depósito Pré-Barremiano, ou seja, de cerca de 130 milhões de anos atrás, são raras, mundialmente falando, e consideradas produto de uma escassez global de depósitos continentais desse período”, contou Kamila à Agência Estado.

Apesar do mais comum ser nomear espécies de dinossauros no masculino, a escolha aqui foi quebrar essa regra. Tietassaura é uma referência à famosa Tieta de Jorge Amado e derbyiana ao geólogo e naturalista Orville A. Derby, fundador do Serviço Geológico e Mineralógico do Brasil e um dos pioneiros da paleontologia em nosso país.

O artigo científico na publicação Historical Biology, em inglês, com a descrição da nova espécie pode ser lido aqui.

Tietassaura: ossada mais antiga achada na América do Sul é de espécie que viveu na Bahia há milhões de anos

Reconstrução hipotética do período em que a tietassaura teria vivido na Bacia do Recôncavo
Ilustração: Matheus Gadelha

——————————

Agora, o Conexão Planeta também tem um canal no WhatsApp. Acesse este link, inscreva-se, ative o sininho e receba as novidades direto no celular

Leia também:
Fóssil de golfinho gigante que viveu na Amazônia é descoberto
Fóssil de antepassado dos mamíferos, com sangue frio, é descoberto no Rio Grande do Sul
Fóssil de anfíbio gigante do Rio Grande do Sul é mais antigo do que dinossauros
Fóssil de réptil do Rio Grande do Sul, que viveu há 230 milhões de anos, é capa da Nature

Ilustração de abertura: Thales Nascimento

Comentários
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Notícias Relacionadas
Sobre o autor
PUBLICIDADE
Receba notícias por e-mail

Digite seu endereço eletrônico abaixo para receber notificações das novas publicações do Conexão Planeta.

  • PUBLICIDADE

    Mais lidas

    PUBLICIDADE