Notre-Dame ganha projeto de reconstrução com horta e geração de energia solar no telhado

Notre-Dame ganha projeto de reconstrução com horta e geração de energia solar na telhado

O mundo inteiro ficou chocado ao ver, ao vivo, pela televisão, em 15 de abril deste ano, o incêndio que quase destruiu uma das igrejas e monumentos mais famosos do mundo: a Catedral de Notre-Dame, em Paris.

Logo após os bombeiros conseguirem controlar as chamas, o presidente da França, Emmanuel Macron anunciou que Notre-Dame seria reerguida. Dois dias depois da tragédia, o primeiro ministro Édouard Philippe afirmou que será realizada uma competição internacional para definir um projeto de reconstrução.

Nas últimas semanas, dezenas de arquitetos revelaram suas ideias, algumas pra lá de inovadoras e modernistas, para a catedral francesa. Muitos deles incluem jardins suspensos, sobre a catedral.

O renomado arquiteto belga Vincent Callebaut, que tem escritório em Paris, e considerado pela revista Time como um visionário em projetos ecológicos, apresentou um esboço do que imagina para a nova Notre-Dame.

“Palingenesis*, Tributo a Notre Dame defende um projeto em engenharia ecológica. Economia circular, energias renováveis, inovação social inclusiva, agricultura urbana, proteção da biodiversidade, sem esquecer a beleza e a elevação espiritual: nossa proposta de design se alimenta de tais valores para proporcionar um significado profundo e consciente”, explicou Callebaut.

A estrutura de vidro projetada por Callebaut

O telhado seria construído com vigas de madeira laminada cruzada, pré-tensionadas com ripas de fibra de carbono. A nova estrutura usaria uma quantidade mínima de material para garantir uma pegada de baixo carbono, ao mesmo tempo, oferecendo maior transparência e luminosidade para a catedral.

A nave da igreja ganharia mais luz com o telhado de vidro

A nova estrutura de madeira seria coberta com vidros de cristais facetados e tridimensionais, em forma de diamante. Estes cristais consistem de uma camada ativa orgânica, composta de carbono, hidrogênio, nitrogênio e oxigênio, que absorve a luz e a transforma em energia. Essa energia, armazenada em células a combustível de hidrogênio seria diretamente redistribuída por toda a catedral.

O excedente da energia gerada poderia ser compartilhado ainda com edifícios localizados também na Île de la Cité.

Jardim nas alturas: telhado teria produção de alimentos

Embaixo dessa estrutura de vidro, a proposta de Callebaut é ter uma fazenda urbana. “O jardim serve a fins estéticos, mas também alimentícios. De fato, seria cultivado por voluntários e associações de caridade para ajudar os parisienses mais carentes e sem lar”, explica o arquiteto.

Ele acredita que até 21 toneladas de frutas e vegetais poderiam ser produzidas e colhidas no local, através dos sistemas de permacultura e hidroponia, e diretamente redistribuídas gratuitamente a cada ano. “Para esse fim, um mercado de agricultores seria realizado todas as semanas no pátio de Notre-Dame”, diz.

Ousadia e polêmica

Dentre os outros projetos elaborados até agora, há alguns bastante exóticos. Um deles, do designer francês Mathieu Lehanneur, tem uma espiral, na forma de uma labareda, feita de fibra de carbono e folhada com ouro, para que a tragédia seja sempre lembrada. Divulgada no Instagram, a imagem não agradou muito os internautas e alguns chamaram a ideia de “blasfêmia”.

O arquiteto paulista, Alexandre Fantozzi, do aj6 Studio, também colocou no Instagram como imagina a nova cúpula da catedral. Em seu projeto, ela seria repleta de vitrais coloridos.

O telhado colorido do projeto brasileiro

*Em grego, a palavra palingenesis significa renascimento, regeneração

Fotos: divulgação Vicent Callebaut Arquitetura, montagem The New York Times e aj6 Studio

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Um comentário em “Notre-Dame ganha projeto de reconstrução com horta e geração de energia solar no telhado

  • 14 de maio de 2019 em 10:54 AM
    Permalink

    Não sei o que deixaria Deus mais chocado: se todo o dinheiro empregado para erguer paredes e teto de um templo a Ele destinado com ouro, prata, pedrarias e obras de arte ou como melhor poderia ser usado, mas não será, se focado na pobreza do mundo, na carência humana, no Meio Ambiente, nas espécies animais em extinção, nos oceanos contaminados e nas florestas desmatadas, tentando reverter o quadro de um planeta que expira por falta de manutenção e remédio, de atenção e socorro, enquanto brilham nos altares os ostensórios, os cálices, os vitrais, os sacrários e as imagens sagradas. Não sei se Deus está chorando por causa de um templo que virou cinzas já que, óbvio, Ele não foi desalojado de Sua Casa, portanto pode ser encontrado em qualquer lugar do mundo, em uma praia deserta com ondas tranqüilas, em um bosque sereno onde passarinhos cantem em Sua Homenagem e até mesmo em uma estrebaria ou nos braços de uma cruz de madeira. Mas sobretudo, pode habitar dentro de você, se você houver entendido a Vontade Dele que nem sempre combina com a nossa maneira de querer restaurar e enfeitar a Casa, que supomos Dele, enquanto bebês doentes agonizam no colo de mães desesperadas, implorando compaixão e caridade, nos degraus de pedra que deveriam nos levar, mas não levam ao Céu onde Ele está.

    Resposta

Deixe uma resposta