Armazém das Oficinas, projeto social de Campinas, lança programa de assinatura de cestas orgânicas

Um espaço que comercializa produtos de arte em ferro e vidro, cartonagem, costura, marcenaria, ladrilhos e papel, além de oferecer opção de almoço delícia, agora conta com o serviço de assinatura de cestas orgânicas. Olhando assim, parece uma loja como outra qualquer. Só que não!

O Armazém das Oficinas é um espaço criado para comercializar produtos e serviços desenvolvidos em oficinas que atendem a necessidade de trabalho da população de baixa renda que apresenta quadros de doença mental, vulnerabilidade, e com dificuldade de inserção no mercado de trabalho. O trabalho é desenvolvido em parceria pela Associação Cornélia Vlieg e o Serviço de Saúde Dr. Cândido Ferreira.

As oficinas de trabalho e geração de renda seguem as diretrizes da Política Nacional de Saúde Mental e Economia Solidária: inclusão social, acesso ao trabalho e renda, incremento da autonomia e da emancipação do usuário.

Certificada pela Associação de Agricultura Natural de Campinas e Região (ANC) desde 2010, a horta orgânica do Armazém conseguiu se estabelecer no mercado, e os agricultores vendem a produção a varejistas conhecidos na região, como a Rede Kushi de Supermercados, o Supermercado Taquaral e a Agropecuária Santa Terezinha, além de ter uma loja própria dentro da sede do Serviço de Saúde Dr. Cândido Ferreira. Com o sistema de assinaturas de cestas, o contato se estende agora ao consumidor final.

As opções de assinatura são variadas, com cestas que variam de R$ 25 a R$ 78 semanais, dependendo da quantidade de produtos. Em março, o serviço foi oferecido, em fase piloto, a condomínios em Sousas, bairro de campinas onde se localiza o Armazém. Mas agora residentes de outros bairros do município já podem fazer seus pedidos.

Cleusa Cayres, gestora do Armazém das Oficinas, avalia que o programa de assinatura de cestas será um arco positivo para a horta, pois beneficiará os mais de 30 agricultores que participam do projeto com a possibilidade de aumento de renda, e os assinantes, que terão acesso a produtos saudáveis e frescos. “O Armazém das Oficinas sempre teve como diferencial conseguir, por meio do trabalho, que pessoas se incluam socialmente, obtenham renda e exerçam cidadania. Associar isso com o oferecimento de produtos orgânicos a um público cada vez maior é muito gratificante”.

A cesta é bem variada, e oferece alface de cinco tipos, abobrinha, almeirão, alho poró, banana, beterraba, berinjela, brócolis, chicória, cheiro verde, couve, chuchu, cenoura, espinafre, jiló, mandioca, manga, manjericão, repolho, pimentão, quiabo e vagem.

A horta orgânica funciona desde 1999, e os agricultores trabalham de modo cooperado. Uma cesta dessas traz muitas coisas além de alimentos saudáveis para as mesas, não é?

Foto: Armazém das Oficinas

Mônica Ribeiro

Jornalista e mestre em Antropologia. Coordenou a Comunicação da Secretaria do Verde da Prefeitura de São Paulo – quando criou as campanhas ‘Eu Não Sou de Plástico’ e, em parceria com a SVB, a ‘Segunda Sem Carne’. Colaborou com a revista Página 22, da FGV-SP, e com a Unisol Brasil. Hoje é conectora – trabalha linkando projetos e pessoas de todas as áreas na comunicação para um mundo melhor

Deixe uma resposta