Rejeitada proposta para a comercialização de araras brasileiras durante reunião da Cites na Suíça

ICMBio também diz que o Brasil pedirá a repatriação das 26 ararinhas-azuis e das 4 araras-azuis-de-lear enviadas à Índia pela Associação para Conservação de Papagaios Ameaçados (ACTP), da Alemanha

Ler mais

Governo não reconhece parceria entre ACTP e zoológico da Índia, para onde araras brasileiras foram enviadas

Mais um capítulo dessa história polêmica e que deixa ainda mais delicada a relação entre o governo brasileiro e a Association for the Conservation of Threatened Parrots (ACTP), criadouro particular de aves da Alemanha, parceiro do Brasil no programa de reprodução em cativeiro e reintrodução da ararinha-azul na Bahia

Ler mais

ACTP afirma que informou governo brasileiro sobre envio de araras para zoológico da Índia

Há dois dias o Ibama e o ICMBio disseram que não foram consultados sobre o envio de araras de espécies brasileiras para a Índia, mas numa nota divulgada hoje o criadouro alemão, parceiro do governo no programa de reintrodução da ararinha-azul, contradiz as autoridades ao declarar que elas foram informadas em 2022. Além disso, a ACTP reitera que não houve venda de animais, apenas “empréstimo”

Ler mais

Ibama e ICMBio não foram consultados sobre envio de araras brasileiras a zoológico da Índia

Transferência de 30 araras foi feita pela ACTP da Alemanha, parceira do governo no programa de reintrodução da ararinha-azul. Ministério do Meio Ambiente afirma ainda que é “terminantemente contrário ao comércio, mesmo sob argumento de custear ações para programas de conservação, e não aprova sua venda sob qualquer justificativa”

Ler mais

Ministério do Meio Ambiente se mantem calado sobre venda de araras brasileiras no exterior

Após denúncia da venda de aves a zoológico na Índia e sobre proposta a ser debatida na reunião da CITES para estímulo ao comércio das ararinhas-azuis e de lear, o governo brasileiro ainda não se pronunciou sobre o assunto. Documentos obtidos pelo Conexão Planeta mostram que a ACTP, parceira alemã do programa de reintrodução da ararinha, tem “poder de decisão soberano”

Ler mais

26 ararinhas-azuis são enviadas ao maior zoológico do mundo, que está em construção na Índia

O futuro zoológico é um empreendimento do bilionário Mukesh Ambani, CEO da Reliance Industries, a maior empresa da Índia, que trabalha com petróleo, gás, varejo e têxteis. Segundo informações obtidas pela Renctas, as ararinhas-azuis foram comercializadas legalmente pela ACTP, criadouro alemão que coordena o programa de reintrodução da espécie no Brasil, junto com o ministério do Meio Ambiente

Ler mais

Leão “mais solitário do mundo” chega à África, após seis anos de abandono num zoológico na Armênia

Ruben nasceu em cativeiro e durante os últimos anos viveu completamente sozinho, numa jaula de concreto, num zoológico particular fechado. Finalmente, em agosto, ele foi transferido para um santuário de vida selvagem

Ler mais

Inaugurado primeiro zoológico holográfico do mundo

Numa área de mais de 1,5 mil m2, visitantes podem caminhar ao longo do habitat de animais como girafas, leões e elefantes, na África, ou então, ver de perto coalas e cangurus nas florestas da Austrália. A diferença desse zoológico é que nenhum dos animais é real. São todos projeções holográficas

Ler mais

Onça-parda nascida em zoológico ganha a liberdade com soltura no Rio Grande do Sul

A premissa de que animais nascidos em cativeiro não conseguem sobreviver na natureza não deve ser tomada como absoluta. E pouco a pouco, especialistas demonstram que ela deve ser revista. É o caso de Bibi, que uma semana após a soltura já estava caçando e apresentando comportamento de vida selvagem

Ler mais

Exclusivo: Ibama dá mais detalhes chocantes sobre condições de zoológico fechado em Pernambuco

Araras eram mantidas com urubus, aves tinham asas amputadas, não havia sala veterinária e funcionários usavam a mesma cozinha dos animais no “Instituto” Pet Silvestre de Porto de Galinhas. “Zoológico se aproveitou da licença, recebia os animais, os explorava cobrando 60 reais de ingresso, mas não dava a eles condição de vida digna”, diz Ibama

Ler mais