Janeiro de 2024 registra temperatura recorde na história

Janeiro de 2024 registra temperatura recorde na história

*Por Priscila Pacheco

2023 foi o ano mais quente da história já registrado. Ainda pode ser cedo para dizer que 2024 irá ultrapassá-lo, mas janeiro não deu sinais de otimismo. Monitoramento publicado nesta quinta-feira (08/02) pelo Copernicus, serviço climático europeu, aponta que o mês passado foi o janeiro mais quente já registrado globalmente. A temperatura média do ar alcançou 13,14°C, 0,70°C acima da média de 1991-2020 para o mês e 0,12°C a mais em comparação com janeiro de 2020, recordista anterior.

Em comparação com a era pré-industrial (1850-1900), os primeiros 31 dias do ano foram 1,66°C mais quentes. Além disso, a temperatura média global nos últimos doze meses, de fevereiro de 2023 a janeiro de 2024, é a mais alta já registrada. Foi 0,64°C acima da média de 1991-2020 e 1,52°C superior à média de 1850-1900. Na publicação anterior o Copernicus já havia sinalizado que o período de 12 meses poderia ultrapassar 1,5°C, limite de temperatura proposto pelo Acordo de Paris. Pelo menos uma base de dados, a do Berkeley Earth, já mostrou que 2023 ultrapassou o limite de 1,5°C.

Na análise local, o Copernicus mostra que as temperaturas ficaram muito acima da média no leste do Canadá, noroeste da África, Oriente Médio e Ásia central. O oeste canadense sofreu com ondas de frio extremo, que têm relação com o desequilíbrio climático.

A temperatura média global da superfície do mar também é recordista para janeiro, apesar do El Niño ter começado a enfraquecer. O termômetro alcançou 20,97°C, 0,26°C mais quente do que janeiro de 2016, que ocupava a primeira posição do mês. Em relação a todos os meses, janeiro de 2024 fica atrás apenas de agosto de 2023, quando a temperatura média foi de 20,98°C.

O Copernicus também chamou a atenção para condições mais secas, que têm contribuído para o avanço de incêndios florestais. Um exemplo é o Chile. Na quarta-feira (7), foram registrados 144 incêndios. Mais de 130 mortes foram confirmadas (leia mais aqui).

Samantha Burgess, diretora-adjunta do Copernicus, ressalta que são necessárias reduções rápidas das emissões de gases de efeito estufa para impedir mais aumento nas temperaturas globais. A medida parece ser um grande desafio, pois a maioria das  emissões vêm do uso de combustíveis fósseis e a indústria não dá sinais para desacelerar. Países ricos seguem com novos projetos e a China aprovou recentemente licenças para novas usinas de carvão, por exemplo.

*Texto publicado originalmente em 08/02/24 no site do Observatório do Clima

Leia também:
Com o clima mais quente, árvores estão absorvendo menos CO2 da atmosfera
Seca histórica na Amazônia foi agravada pela crise climática, confirma estudo
– 31ºC em Calgary, no Canadá, e mais de 50ºC no Rio de Janeiro: extremos climáticos dão boas-vindas a 2024

Foto de abertura: Marco Terranova / Fotos Públicas

Um comentário em “Janeiro de 2024 registra temperatura recorde na história

  • 14 de fevereiro de 2024 em 6:01 AM
    Permalink

    VOCÊS SABIAM QUE O SOL ESTÁ SE APROXIMANDO CADA VEZ MAIS DO PLANETA TERRA?

    Resposta

Deixe uma resposta

Observatório do Clima

Fundado em 2002, o OC é a principal rede da sociedade civil brasileira sobre a agenda climática, com mais de 70 organizações integrantes, entre ONGs ambientalistas, institutos de pesquisa e movimentos sociais. Seu objetivo é ajudar a construir um Brasil descarbonizado, igualitário, próspero e sustentável, na luta contra a crise climática. Desde 2013 publica o SEEG, a estimativa anual das emissões de gases de efeito estufa do Brasil