Chile decreta luto oficial pelas dezenas de mortos em incêndios florestais

Chile decreta luto oficial pelas dezenas de mortos em incêndios florestais

Após decretar estado de emergência, o governo do Chile anunciou dois dias de luto oficial no país pelas dezenas de vítimas dos incêndios florestais. O fogo atingiu rapidamente residências na região litorânea e turística de Valparaíso. Em Viña del Mar, moradores foram pegos de surpresa em casa e não tiveram chance de escapar. Alguns foram queimados dentro de veículos, tentando fugir. O número de mortos já chega a 130, mas segundo dados das autoridades há mais de 300 desaparecidos.

Os incêndios começaram na sexta-feira (02/02) nas montanhas que cercam a região central e sul e foram se alastrando sem controle para áreas urbanas, impulsionados pela seca prolongada, baixa umidade, altas temperaturas e ventos fortes registrados no Chile. Os vilarejos de Quilpué, Limache e Villa Alemana também foram afetadas e equipes de bombeiros, brigadistas e soldados do exército estão tentando controlar as chamas.

Em Viña del Mar um jardim botânico fundado em 1931 foi completamente destruído. São pelo menos 1.600 desabrigados.

“O que vivemos nestes dias é a maior tragédia desde o terremoto de 2010. Digo isto para que possamos medir a magnitude destes incêndios e os seus efeitos sobre milhares de famílias. Por esta razão, decidi declarar dois dias de luto nacional a partir desta segunda-feira. É todo o Chile que sofre e chora os seus mortos”, declarou o presidente Gabriel Boric.

Para ajudar o trabalho de combate aos incêndios, o governo anunciou um toque de recolher nas cidades mais afetadas. A população deve ficar dentro de casa no período da noite para facilitar a remoção das vítimas e desalojados e a locomoção dos brigadistas e ambulâncias.

Existe suspeita de alguns dos incêndios podem ter sido criminosos, já que há relatos de que em quatro pontos diferentes eles teriam começado simultaneamente. Até este momento, 8 mil hectares de florestas e áreas urbanas foram queimados.

Não é apenas o Chile que está sofrendo com temperaturas extremas na América do Sul. Recentemente a Colômbia decretou estado de emergência por causa dos incêndios florestais perto da capital, Bogotá. Equador, Argentina e Venezuela também precisar enfrentar o fogo em algumas regiões.

Segundo especialistas em clima, as condições que favorecem o surgimento do fogo são provocadas pela presença do fenômeno natural El Niño, que deixa as águas do Oceano Pacífico mais quentes e impede a entrada de ar frio no continente.

Chile decreta luto oficial pelas dezenas de mortos em incêndios florestais

Helicópteros também auxiliaram o trabalho de brigadistas no solo
(Foto: reprodução Facebook Gabriel Boric)

*Com informações adicionais dos sites do jornal The New York Times e agência de notícias Associated Press

**Texto atualizado em 07/02 para alterar o número de vítimas dos incêndios florestais no Chile

Leia também:
Em dez anos mais do que dobrou o volume das emissões provenientes de incêndios na Amazônia
Com o clima mais quente, árvores estão absorvendo menos CO2 da atmosfera
Seca histórica na Amazônia foi agravada pela crise climática, confirma estudo

Foto de abertura: reprodução Facebook presidente Gabriel Boric

Deixe uma resposta

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.