PUBLICIDADE

Sonia Guajajara recebe prêmio das mãos de Leonardo DiCaprio em Hollywood

Mais um reconhecimento importante para uma das principais lideranças do movimento indígena no Brasil! A ministra Sonia Guajajara recebeu, em 9 de março, em Los Angeles, Estados Unidos, o Green Carpet Fashion Awards, na categoria Healer, que pode ser traduzida como Curadora da Terra.

Considerado o “Oscar da Moda Sustentável” – homenageia pioneiros da indústria de moda, que adotam práticas justas e sustentáveis -, o prêmio foi entregue à líder pelo ator, ativista e Mensageiro da Paz da ONU para as Mudanças Climáticas, Leonardo DiCaprio, devido às “extraordinárias conquistas na defesa das florestas e por reposicionar os povos originários no centro da agenda climática global”.

“Heroica guardiã da Amazônia”

Durante a entrega do Green Carpet Fashion Awards, DiCaprio destacou o trabalho que Sonia Guajajara tem feito no país e no mundo para proteger a Amazônia e os povos da floresta

“A proteção permanente do nosso mundo natural é imperativa se quiser alcançar estabilidade ecológica global. O fato é simples: a Floresta Amazônica depende principalmente daqueles que tem mais experiência na proteção de seus ecossistemas. Os guardiões desta floresta tropical vital que sustenta todos nós, que são, sem dúvida, seus defensores indígenas”. 

Sonia Guajajara celebra, com Leonardo DiCaprio, o prêmio Green Carpet Fashion Awards; eles são observados por Gasparini Kaingang, assessor internacional do Ministério dos Povos Indígenas / Foto: Leo Otero

Lembrou que a Amazônia não é só “um dos lugares mais importantes para a vida selvagem”, mas também “a chave para sustentar a vida muito além de suas fronteiras, ajudando a conduzir os ciclos globais de água e padrões climáticos que afetam as chuvas, mesmo aqui na Califórnia”. 

Salientou que as pessoas presentes à cerimônia certamente compreendem o impacto que aindústria da moda tem sobre o meio ambiente e, também, a oportunidade que têm de ser pioneiros em soluções, “o que inclui encontrar alternativas sustentáveis ao couro, por exemplo, e, ao fazê-lo, reduzir a demanda da indústria pecuária que causa mais de 80% do desmatamento na Amazõnia”.

Por fim, destacou: “É apropriado, portanto, que o Prêmio Healer deste ano vá para uma heróica guardiã do planeta e da Amazônia e, agora, também a primeira ministra dos povos indígenas do Brasil: Sonia Guajajara”. 

Ele ainda disse que, antes de ser ministra, Sonia liderou a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB) e tem sido “uma ativista ambiental feroz” por muitos anos e, muitas vezes, “em circunstâncias difíceis e perigosas”.

E finalizou: “Recentemente, a revista TIME reconheceu a luta da ministra Guajajara pelos direitos dos povos indígenas e a selecionou como uma das 100 pessoas mais influentes do mundo (foto ao lado). Então, por favor, honrem a ministra Guajajara”.

“A luta indígena é uma luta humanitária”

Ao receber o prêmio, Sonia brincou com DiCaprio, chamando-o de “meu amigo Leo” e declarou: 

“Muito muito obrigada Leo, meu amigo Leo! É uma alegria e honra receber este prêmio tão importante que reconhece a luta, que não e só minha, mas, sim, de milhões de defensores da natureza, dos animais e da vida no planeta Terra. E essa luta não tem sido fácil. Muitos companheiros e companheiras têm perdido suas vidas diariamente. 

Nós, povos indígenas, representamos somente 5% da população mundial, mas, juntos, protegemos o equivalente a 80% da biodiversidade do planeta, por isso, o reconhecimento e um prêmio tão importante como este é fundamental para que esta causa seja vista e reconhecida por muito mais pessoas. Porque a luta indígena é uma luta humanitária. Protegendo o meio ambiente e os territórios indígenas, protegemos a vida no planeta, o ar que respiramos e a água que bebemos aqui, deste lado do mundo. 

Agora, com a primeira ‘ministra dos povos indígenas do Brasil’, vamos ampliar essa luta de proteção e justiça para o nosso povo, que vem sendo violentamente atacado durante séculos. A parceria com outros países é fundamental para ganharmos mais força nesta luta humanitária. Muito obrigada!”.

Estreita colaboração

E, ontem, em seu Instagram, DiCaprio lembrou da cerimônia e a importância do reconhecimento de sua amiga e ativista incansável: 

“Sonia Guajajara tem sido uma ativista ambiental ferrenha diante das graves ameaças aos povos indígenas, defendendo uma população brasileira de mais de 900 mil indígenas e suas mais de 300 culturas diferentes.



Para ajudar a enfrentar as ameaças crescentes à sua casa-floresta, minha organização Re:wild lançou, em 2019, o Fundo Florestal da Amazônia para aprofundar nossa parceria com Sonia e outros defensores indígenas na linha de frente com os quais estamos lado a lado. 

A Re:wild e seus parceiros estão agora trabalhando em estreita colaboração com a ministra Guajajara e a nova administração do presidente Lula para ajudá-los a implementar rapidamente as prioridades ambientais. Parabéns, Ministra Guajajara, por esta merecida honra!”.

O ator Leonardo DiCaprio é conhecido ativista climático além de grande defensor da Amazônia e da preservação ambiental no mundo e dos povos indígenas. Em setembro de 2021, por exemplo, apoiou a mobilização contra o marco temporal, que estava sendo julgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Em dezembro do mesmo ano, durante a COP26, se comprometeu a apoiar instituto da jovem cacica Juma Xipaia, que denunciou a hidrelétrica de Belo Monte em sua participação na conferência da ONU realizada em Glasgow, na Escócia.

Alvo de Bolsonaro

Devido a seu ativismo, DiCaprio foi bastante atacado por Bolsonaro e pelos membros de seu governo. 

Em 2019, o ex-presidente acusou-o de financiar incêndios na Floresta Amazônica, por meio de doações à organização não-governamental WWF. O ator reagiu e ainda fez um alerta.

“Neste momento de crise para a Amazônia, eu apoio o povo do Brasil que trabalha para salvar seu patrimônio natural e cultural. Eles são um exemplo incrível, comovente e humilde do compromisso e da paixão necessários para salvar o meio ambiente. O futuro desses ecossistemas insubstituíveis está em jogo e tenho orgulho de apoiar os grupos que os protegem”. 

Sobre a apoio a ONGs brasileiras, disse: “Embora dignas de apoio, não financiamos as organizações citadas. Continuo comprometido em apoiar as comunidades indígenas brasileiras, os governos locais, cientistas, educadores e as pessoas que estão trabalhando incansavelmente para garantir a Amazônia para o futuro de todos os brasileiros”. 

Bolsonaro retrucou a declaração de DiCaprio acusando-o de “fazer campanha contra o Brasil” na mídia internacional. Pouco depois, o vice-presidente Hamilton Mourão mentiu descaradamente: “A floresta não está queimando”. Que bom que tudo isso faz parte do passado.

Um novo tempo

Para felicidade geral da nação, Lula venceu a eleição em outubro de 2022! E, logo depois de tomar posse, cumpriu a promessa feita aos povos indígenas durante o Acampamento Terra Livre de 2022, em Brasília: o de criar um ministério exclusivo para eles. E ainda escolheu a então eleita deputada federal Sonia Guajajara para presidi-lo. 

Durante a cerimônia de entrega do Green Carpet Fashion Awards, DiCaprio não escondeu a alegria que sentia com a posição da amiga no atual governo, como “a primeira ministra dos povos indígenas”. 

No mês passado, o ator se uniu ao presidente da Amazon, Jeff Bezos – por meio de suas fundações – e se comprometeu com a ministra do meio ambiente Marina Silva a buscar recursos para ação emergencial na Amazônia.

Fotos (destaque): Leo Otero e Keri Oberly/divulgação

Comentários
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Notícias Relacionadas
Sobre o autor
PUBLICIDADE
Receba notícias por e-mail

Digite seu endereço eletrônico abaixo para receber notificações das novas publicações do Conexão Planeta.

  • PUBLICIDADE

    Mais lidas

    PUBLICIDADE