A mulher que ensina a brincar


Nas últimas décadas, surgiram pelo mundo inúmeros estudos e pesquisas alertando sobre a importância do brincar no processo de aprendizagem das crianças. Na contramão do que alguns sistemas nacionais de ensino estão aplicando, esses estudos sugerem que fomentar um ambiente divertido e repleto de brincadeiras na infância não retarda, nem compromete o aprendizado formal, pelo contrário.

Brincar não é só fundamental para o desenvolvimento pleno do cérebro, mas também desenvolve habilidades relacionadas à imaginação, criatividade, tomada de decisões e trabalho em grupo. Se não bastasse tudo isso, é por meio de brincadeiras que as crianças estabelecem e reconhecem relações de confiança entre si e com os adultos.

Mas muito antes de a gente começar a explicar os benefícios das brincadeiras na infância, a Maria já aplicava isso na prática.

Maria Cecília Lins, a Maria, é a fundadora e diretora do Pró-Saber SP, uma organização sem fins lucrativos que oferece educação integral para crianças e jovens em Paraisópolis, São Paulo.

Quem visita o Pró, encontra em meio à desigualdade profunda e à falta de oportunidades, um portão discreto que dá acesso a um mundo completamente inesperado, cheio de cor, de música, de sorrisos despretensiosos e risada de criança.

Para Mario Quintana, “democracia é dar à todos o mesmo ponto de partida” e esse é o fio condutor que permeia todas as atividades desenvolvidas na organização, como o Pró Ler e Brincar, um projeto que abre as portas para crianças de 4 a 12 anos  da comunidade para brincarem livremente num espaço seguro e inclusivo. Elas circulam entusiasmadas entre fantasias, brinquedos de madeira, galhos de árvores, instrumentos musicais e livros, muitos livros.

Tudo isso ao som de uma roda de leitura ou da banda de maracatu do Pró. Energia viva e vibrante vindas dos jovens e das crianças que encontraram ali um motor propulsor de sonhos e possibilidades. E é nesse vai e vem de gente pequena que, se der sorte, você cruza com a Maria mostrando a língua, improvisando caretas ou simplesmente criando brincadeiras.

Maria comove pelo exemplo, nos conforta com abraços demoraaaaados e nos conduz por caminhos novos com a serenidade de quem se redescobre a cada novo dia.

Ela nos ensina a brincar, nos relembra da importância de ser leve e ver graça na vida.

Maria faz a gente dar risada de bobeira, sem deixar pra trás a responsabilidade por construir uma sociedade mais justa e uma democracia mais fiel.

Sorte dessa molecada de ter a Maria por perto!
Sorte a minha! Sorte a nossa!

Vida longa à mulheres que nos ensinam a brincar. Viva Maria!

Se você quiser contribuir com o trabalho da Maria e do Pró, basta acessar o site da instituição.

Foto: Divulgação

Sonhadora, feminista e apaixonada por pessoas e histórias. Trabalhou por dez anos como advogada e em 2014 deixou o escritório para empreender o Think Twice Brasil, cujo primeiro projeto – Experiência de Empatia – foi uma viagem de 400 dias por 40 países para se aprofundar no aprendizado e identificação de soluções para desigualdade social e de gênero. De volta ao Brasil, está à frente do Instituto Think Twice Brasil e de projetos ligados à justiça social e de gênero.

Gabriele Garcia

Sonhadora, feminista e apaixonada por pessoas e histórias. Trabalhou por dez anos como advogada e em 2014 deixou o escritório para empreender o Think Twice Brasil, cujo primeiro projeto – Experiência de Empatia – foi uma viagem de 400 dias por 40 países para se aprofundar no aprendizado e identificação de soluções para desigualdade social e de gênero. De volta ao Brasil, está à frente do Instituto Think Twice Brasil e de projetos ligados à justiça social e de gênero.

Deixe uma resposta