Nova espécie de peixe das nuvens descoberta no Rio Grande do Norte ganha o nome de Maria Bonita

Nova espécie de peixe das nuvens descoberta no Rio Grande do Norte ganha o nome de Maria Bonita

Maria Gomes de Oliveira, ou Maria Bonita, como todos nós passamos a conhecê-la, virou uma lenda do cangaço brasileiro. Corajosa e destemida, ela foi a companheira de Virgulino Ferreira da Silva, o Lampião, e a primeira mulher a participar de um grupo de cangaceiros. Agora essa figura feminina lendária também ficará eternizada através da biologia ao dar nome a um novo peixe das nuvens, descoberto no Rio Grande do Norte, o Hypsolebias Maria.

Peixes das nuvens ou ainda, peixes da chuva, são chamados assim popularmente porque dependem da água que cai do céu para sobreviver. Eles possuem um ciclo de vida bastante curto. Em poucos meses nascem, crescem e se reproduzem em poças temporárias onde vivem. Depois que elas secam, eles morrem.

Todavia, antes de perderem a vida, durante o período da reprodução, esses peixes enterram seus ovos no fundo da poça, que ficam lá até as próximas chuvas, quando finalmente eclodem. No imaginário popular a origem desses animais se dá a partir das nuvens.

O Hypsolebias Maria foi encontrado em cavernas do Parque Nacional da Furna Feia, localizado em Baraúna, no bioma Caatinga, na área da bacia do rio Apodi-Mossoró.

O macho da espécie é bastante colorido, com tons de azul no corpo e na cauda, e detalhes de laranaj nas nadadeira. Já a fêmea apresenta uma coloração mais discreta e clara.

A descoberta dessa e de uma outra nova espécie se deu durante estudos de campos realizados por pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, com a colaboração de cientistas da Universidade Federal da Paraíba, do ICMBio/Cecav e do Instituto Tecnológico Vale.

O outro peixe das nuvens descrito foi o Hypsolebias gongobira, que ocorre na bacia do rio Pacoti, no Ceará. Seu nome científico homenageia uma divindade africana que teria povoado as lagoas com peixes coloridos.

Infelizmente, ambas as espécies já são consideradas ameaçadas de extinção, devido à expansão rural e urbana na região onde existem.

Estima-se que sejam cerca de 120 espécies de peixes das nuvens conhecidas atualmente na Caatinga.

Nova espécie de peixe das nuvens descoberta no Rio Grande do Norte ganha o nome de Maria Bonita

O macho do Hypsolebias gongobira é mais alaranjado e com pontinhos brancos
(Foto: Yuri Abrantes)

*O acesso ao artigo completo, em inglês, você encontra neste link.

Leia também:
Nova espécie de “peixe das nuvens” descoberta na Caatinga é batizada com o nome do presidente Lula
Pesquisadores viajam ao sul do Pará e Maranhão, na Amazônia, em busca dos raros peixes das nuvens

Foto de abertura: Yuri Abrantes

Deixe uma resposta

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.