Wildlife Photographer of the Year divulga destaques da edição 2020, entre eles, flagrante dos incêndios na Amazônia

Wildlife Photographer of the Year divulga destaques da edição 2020, entre eles, flagrante dos incêndios na Amazônia

Há mais de cinco décadas, todos os anos, o Wildlife Photographer of the Year, promovido pelo Museu de História Natural de Londres, escolhe as melhores imagens de vida selvagem e fotojornalismo registradas por fotógrafos do mundo inteiro. O concurso é considerado uma espécie de “Oscar” da fotografia.

Além de promover e valorizar o trabalho de fotógrafos internacionais, o objetivo da competição é também aumentar a conscientação sobre a importância da preservação e conservação da fauna e da flora do planeta.

Ontem (01/09), os organizadores do concurso divulgaram uma série de fotografias consideradas “Highly Commended” – “Altamente Recomendadas”, que fazem parte das quase 50 mil, vindas de 86 países, que estão concorrendo ao prêmio principal e às diversas categorias existentes para a edição de 2020.

Entre as dezessseis fotos compartilhadas está um flagrante dos incêndios florestais que ocorreram na Amazônia, em 2019 – a imagens que abre este post. O fotógrafo britânico Charlie Hamilton James registrou as chamas consumindo a floresta, no Maranhão, e bem ao centro, uma árvore que resiste ao fogo. “Um monumento à estupidez humana”, diz o profissional.

Há mais de uma década James faz a cobertura do desmatamento na região. “No ano passado, a invasão de reservas indígenas e áreas de conservação por madeireiros e fazendeiros aumentou, encorajados pelo compromisso do presidente JairBolsonaro de abrir a Amazônia para negócios e seus ataques a grupos indígenas”, denuncia.

Por causa da pandemia do novo coronavírus, pela primeira vez em sua história, os grandes vencedores do Wildlife Photographer of the Year serão anunciados em uma cerimônia virtual, no dia 13 de outubro. O público poderá conhecer de perto as fotografias ganhadoras na exposição, em Londres, a partir de 16 de outubro.

Abaixo outros destaques divulgados em primeira mão pelos organizadores:

Wildlife Photographer of the Year divulga destaques da edição 2020, entre eles, flagrante dos incêndios na Amazônia

Com um olhar determinado, uma jovem raposa segura com força seu troféu – um rato marrom morto – enquanto seu irmão tenta tirá-lo dela
(Matthew Maran – Reino Unido)

Wildlife Photographer of the Year divulga destaques da edição 2020, entre eles, flagrante dos incêndios na Amazônia

Um olho pisca na piscina de lama quando um hipopótamo emerge para respirar
– uma a cada três a cinco minutos
(Jose Fragozo, Portugal)

Wildlife Photographer of the Year divulga destaques da edição 2020, entre eles, flagrante dos incêndios na Amazônia

Sempre vigilante, um grande gavial macho, espécie de crocodilo, – com pelo menos 4 metros de comprimento – fornece suporte sólido para seus numerosos descendentes. É época de reprodução
no Santuário Nacional de Chambal em Uttar Pradesh, norte da Índia
(Dhritiman Mukherjee, Índia)

Wildlife Photographer of the Year divulga destaques da edição 2020, entre eles, flagrante dos incêndios na Amazônia

Quando seu pai planejou uma viagem de negócios ao Vietnã, Arshdeep pesquisou a vida selvagem online. Foi depois de ler sobre o ameaçado douc langur de canela vermelha que ele pediu a seu pai para levá-lo junto
(Arshdeep Singh, Índia)

Um par de papagaios-do-mar do Atlântico faz uma pausa perto de seu ninho.
A cada primavera, as Ilhas Farne atraem mais de 200 aves da espécie
(Evie Easterbook, Reino Unido)

Leia também:
Flagrante incrível e raro é grande vencedor do Wildlife Photographer of the Year 2019
Registro cativante de macacos ameaçados de extinção é grande vencedor do Wildlife Photographer of the Year 2018
Foto vencedora do Wildlife Photographer of the Year mostra o extermínio de uma espécie

Fotos: divulgação Wildlife Photographer of the Year

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta