Vítimas de violência doméstica, mulheres poderão fazer denúncia em farmácias: sinal de alerta será um ‘x’ vermelho na mão

Vítimas de violência doméstica, mulheres poderão fazer denúncias em farmácias: o sinal de alerta será um 'x' vermelho nas mãos

Além das milhares de mortes, entre os muitos efeitos colaterais provocados pela pandemia do novo coronavírus está o aumento da violência doméstica. O problema foi observado não só no Brasil, mas no mundo inteiro. Mas, infelizmente, em nosso país, a situação que já era alarmante, ficou ainda pior. Em 2019, a cada dois minutos uma mulher fez um registro policial por violência doméstica no país.

E de acordo com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, os casos de feminicídio no Brasil cresceram em 22% nos meses de março e abril. Em alguns estado, o salto da violência foi assustador. No Maranhão houve um aumento de 150% nos casos durante a pandemia e no Acre de 300%. “Percebemos que as mulheres estão morrendo porque não conseguem denunciar”, afirmou Renata Gil, presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB).

Para tornar as denúncias mais simples e ajudar as vítimas a romperem com o silêncio e denunciar seus agressores, a AMB, em parceria com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) lançou a campanha Sinal Vermelho contra a Violência Doméstica.

Com a iniciativa, bastará que as vítimas entrem em farmácias, que possuam o cartaz da campanha, e mostrem discretamente, uma das mãos, com um ‘x’ vermelho, para que os funcionários da loja entendam a mensagem, acionem a polícia e acolhem a mulher.

“A vítima, muitas vezes, não consegue denunciar as agressões porque está sob constante vigilância. Por isso, é preciso agir com urgência”, diz Renata.

Vale lembrar que existem muitas outras formas de violência além das agressões físicas, como ameaças psicológica, moral ou patrimonial. Danos emocionais, difamação, intimidação, privação de objetos com valores sociais ou emocionais e toque sem consentimento são outros exemplos de acordo com a Lei Maria da Penha (Lei 11.340/2006), mesmo quando praticadas por parceiros.

A campanha Sinal Vermelho contra a Violência Doméstica conta com uma rede de 10 mil farmácias participantes. Confira abaixo o nome das redes:

A Nossa Drogaria de Caxias
Bio Farma
Dpsp – Drogaria São Paulo e Pacheco
Drogal Farmácia
Drogaria Araujo
Drogaria Eldorado
Drogarias Globo
Drogaria Mac Monteiro
Drogaria Minas Brasil
Drogaria Popular
Drogaria do Porto
Drogaria Social
Drogaria Venancio
Ellomais
Extrafarma
Farma Campos
Farma Ponte
Farmácia Alphard
Farmácia e Drogaria Gg
Farmacia e Drogaria Nissei
Farmácia Gabriel
Farmácia Pague Menos
Farmácia Vale Verde
Grupo Rd – Raia E Drogasil
Multifarma
Panvel
Rede Melhor Compra
Rede Soma Drogarias
Redemais
Redepharma
Santa Lúcia Drogarias
Smallfarma
Universal
Usifarma – Uma Negociações

Leia também:
Personalidades da política mundial são personagens de campanha pelo fim da violência contra as mulheres
Em 75 países, cerca de 90% das pessoas tem preconceito contra as mulheres, revela estudo da ONU. No Brasil, também

Foto: divulgação

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta