Tubarão-tigre abocanha câmera que registra imagens raras do interior da boca de um dos maiores predadores dos mares

tubarão-tigre pode medir até seis metros de comprimento, imaginou? Seu cardápio inclui tartarugas, tubarões menores, aves marinhas, focas, crustáceos e peixes variados, e, como todo animal que integra o topo da cadeia alimentar, é agressivo e defende seu território. 

Tudo que se move no mar e ele vê, abocanha. Infelizmente, pequenos metais e plásticos descartados pelos humanos também fazem parte de seu cardápio. 

E foi sua fome voraz que o fez se interessar pela câmera do cineasta suíço Nico (também conhecido como Zimy Da Kind), presa à areia por um peso para gravar a movimentação dos tubarões no local.

Quando o tubarão a viu, não teve dúvida: foi até ela, abriu o bocão para comê-la. 

Resistente, já no interior da boca do animal, a câmera continuou filmando em 360 graus e sobreviveu às suas tentativas de degustação.

Não demorou muito para que ele percebesse que o ‘objeto de seu desejo’ não era tão apetitoso e o cuspiu. 

O resultado da filmagem foi exibido por Zinn em seu Instagram e encantou seus seguidores, viralizando. A câmera não só resistiu bravamente, como rendeu imagens raras e de qualidade.

Assim que o tubarão abocanha a câmera, a imagem escurece. Em seguida, dá pra ver detalhes do interior de sua boca: o “céu”, o tecido branco com sulcos e areia e os dentes hiperafiados (veja o vídeo raro sensacional no final deste texto).

Fama de mau

Quando o registro inusitado aconteceu, Zinn filmava em Maldivas, no Oceano Índico, para um documentário sobre tubarões para um dos projetos da organização Deep Sea Guardians, que alerta sobre a urgência da conservação dos oceanos por meio da imagem. 

O cineasta é apaixonado por tubarões. E, por isso, com seu trabalho, procura neutralizar a imagem negativa que as pessoas têm desses animais imprescindíveis para o equilíbrio da vida marinha no planeta. 

E o cinema tem parte da responsabilidade por esta péssima fama devido ao filme Tubarão, do cineasta Steven Spielberg, de 1975, que ainda povoa o imaginário de muita gente.

No Brasil, o tubarão-tigre é a principal espécie associada a ataques a banhistas e surfistas, na década de 90, em especial no litoral de Pernambuco. Mas, esses animais não gostam da carne humana. A questão é que, como expliquei acima, eles são atraídos por tudo que se move, por isso, atacam. 

E, pense bem: se eles estão tão próximos do litoral, nas praias, é porque não estão mais encontrando alimento suficiente por onde circulam. Ou seja, o desequilíbrio já acontece. 

Agora, assista ao vídeo protagonizado pelo tubarão nas águas belíssimas de Maldivas. 

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Deixe uma resposta