PUBLICIDADE

Tigres são vistos a mais de 3 mil metros nas montanhas do Himalaia, altitude onde espécie nunca antes foi registrada

Tigres são vistos a mais de 3 mil metros nas montanhas do Himalaia, altitude onde espécie nunca antes foi registrada

Em 2022,  o governo do Nepal anunciou uma notícia maravilhosa: o número de tigres-de-bengala (Panthera tigris tigris) tinha triplicado no país desde 2009. O felino, maior animal dentre todas as espécie de gatos da Ásia, conseguiu aumentar o número de sua população graças a esforços de conservação conjuntos das comunidades locais, agências de fiscalização e organizações não-governamentais.

E um novo levantamento divulgado em dezembro mostrou que não apenas os tigres estão agora em maior número, mas também têm ampliado sua área de distribuição. Câmeras de armadilhas fotográficas instaladas nas montanhas da Cordilheira do Himalaia, na região de Dadeldhura, ao oeste do Nepal, flagraram esses animais em altitudes jamais antes registradas.

Para surpresa de pesquisadores, as imagens mostraram tigres andando entre 2.500 e até 3.165 metros de altura.

“No sul da Ásia, tigres e leopardos ocupam uma ampla gama de habitats, incluindo prados aluviais de várzea, florestas decíduas subtropicais sazonalmente secas nas terras baixas”, explicam os autores do artigo publicado em dezembro.

Ainda segundo eles, compreender a presença e a distribuição da espécie em altitudes elevadas, para além do seu alcance conhecido, é crucial para traçar estratégias de conservação. “Com os impactos das mudanças climáticas e o aumento da população de tigres no Nepal, sabe-se que eles estão se dispersando em novos habitats. Esses felinos requerem um ecossistema funcional e paisagens resilientes ao clima com grandes extensões intocadas e com presas suficientes para manter uma população viável para sua sobrevivência a longo prazo”, ressaltam.

Não foram apenas tigres-de-bengala que as armadilhas fotográficas registraram no alto do Himalaia. Imagens mostram hienas, leopardos, raposas vermelhas, pangolins e veados, de espécies ameaçadas de extinção.

O tigre-de-bengala é uma das seis subespécies de tigre restantes no planeta — três delas não existem mais*. De hábitos solitários, é bastante territorialista e em geral, costumar viver perto da água.

Além do Nepal, essas criaturas majestosas são encontradas na Índia, Rússia, China e Butão. Neste último, há o registro de tigres em altitudes superiores a 4 mil metros.

Na vida selvagem, os tigres chegam a viver até 20 anos. Machos adultos chegam a pesar quase 300 kg.

Tigres são vistos a mais de 3 mil metros nas montanhas do Himalaia, altitude onde espécie nunca antes foi registrada

Imagem feita por uma armadilha fotográfica

*Desde 2017, a IUCN reconhece apenas duas subespécies de tigre, comumente chamadas de tigre continental e da ilha de Sunda. Todos os restantes são encontrados somente em Sumatra, com tigres em Java e Bali agora extintos. Estes são popularmente conhecidos como tigres de Sumatra. Os tigres continentais atualmente incluem as populações de tigres de Bengala, Malaio, Indochinês e Amur (siberiano), enquanto o tigre do Cáspio está extinto na natureza. Acredita-se que o tigre do sul da China esteja funcionalmente extinto.

Leia também:
Cordilheira do Himalaia é avistada pelos indianos, depois de 30 anos, devido à quarentena, que reduziu drasticamente a poluição

Tinder pede que usuários retirem selfies com tigres de seus perfis
Registro de filhotes de tigres ameaçados de extinção provoca comemoração na Tailândia

Foto de abertura: Kandukuru Nagarjun via Flickr (CC BY 2.0).

Comentários
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Notícias Relacionadas
Sobre o autor
PUBLICIDADE
Receba notícias por e-mail

Digite seu endereço eletrônico abaixo para receber notificações das novas publicações do Conexão Planeta.

  • PUBLICIDADE

    Mais lidas

    PUBLICIDADE