Tigre de zoológico de Nova York testa positivo para coronavírus

Tigre de zoológico de Nova York testa positivo para coronavírus

Em comunicado em sua página ontem (05/04), o Bronx Zoo, de Nova York, revelou que um de seus tigres, a fêmea Nadia, de 4 anos, foi diagnosticada com o novo coronavírus, o COVID-19.

Não apenas ela, mas sua irmã, Azul, dois outros tigres da espécie Amur e três leões africanos apresentaram tosse nos últimos dias e provavelmente também estão infectados. Todavia, como para realizar o teste de sangue nesses animais é preciso sedá-los, a equipe do zoológico decidiu submeter apenas um deles, no caso, Nadia, ao procedimento.

“Embora eles tenham tido perda de apetite, os felinos no zoológico do Bronx estão bem, sob cuidados veterinários: alertas e ativos. Não se sabe como essa doença se desenvolverá em grandes felinos, já que diferentes espécies podem reagir de maneira diferente a novas infecções, mas continuaremos a monitorá-las de perto e a antecipar recuperações completas”, informou a Wildlife Conservation Society do Bronx Zoo.

Os veterinários afirmaram que nenhum dos demais felinos do local, como leopardos e guepardos, demonstraram sinais da doença. A administração do zoológico acredita que os animais contaminados foram infectados por uma pessoa que cuidava deles que estava assintomática e mais tarde testou positivo para o coronavírus.

Desde então, entraram em vigor medidas preventivas para evitar o contágio dos animais por funcionários e impedir a exposição ao COVID-19 de qualquer outro felino.

“O COVID-19 é uma doença causada pelo coronavírus conhecido como SARS-CoV-2. Acredita-se que o vírus tenha sido transferido pela primeira vez para pessoas em um mercado de alimentos que comercializa animais silvestres em Wuhan, China. Não há evidências de que os animais desempenhem um papel na transmissão do COVID-19 para outras pessoas além do evento inicial no mercado de Wuhan, e nenhuma evidência de que qualquer pessoa tenha sido infectada pelo COVID-19 nos Estados Unidos por animais, inclusive por animais de estimação. cães ou gatos”, assegurou o Bronx Zoo.

Tigre de zoológico de Nova York testa positivo para coronavírus

Nadia, a tigresa da Malásia, infectada pelo coronavírus em Nova York

Recentemente, em uma carta assinada por 25 especialistas internacionais e divulgada na renomada revista Nature, cientistas alertaram sobre a necessidade de proteger os grandes primatas da pandemia do coronavírus. Para reduzir ao máximo o risco de contágio de gorilas, chimpanzés e macacos, biólogos recomendam que seja suspenso o turismo em reservas e parques onde vivem esses animais, os parentes biológicos mais próximos do ser humano (leia mais aqui).

Leia também:
Cães e gatos não transmitem coronavírus, mas devem ser protegidos durante a quarentena
Não esqueçamos a origem do coronavírus: parem o tráfico e consumo de animais silvestres imediatamente!
Cientistas alertaram, em 2007, que consumo de animais exóticos era bomba-relógio porque morcego é “reservatório de vírus SARS-Cov”

Fotos: reprodução Facebook Bronx Zoo (abertura)/ Julie Larsen Maher

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta