“Tempos de crise são também tempos de criatividade e afeto”, diz Chico Buarque em apoio à campanha nacional de solidariedade

Vamos precisar de todo mundo é o nome da campanha lançada, no início de abril, por movimentos sociais para apoiar e conectar iniciativas de solidariedade realizadas pelo país no combate à pandemia do coronavírus e suas consequências para a população mais vulnerável e pobre. Inspirado na música O Sal da Terra, de Beto Guedes, escrita no início dos anos 80, durante a ditadura militar, define muito bem seu objetivo.

Para o lançamento do site – que não só reúne informações como coleta doações -, a campanha recebeu mensagem de apoio do cantor e compositor Chico Buarque, em vídeo.

Nele, Chico destacou que, tempos de crise, como o que estamos passando, são marcados por criatividade e afeto que nos fortalecem, e convidou: “Além de protestarmos contra o desgoverno, manifeste sua solidariedade ajudando os que mais sofrem as consequências desta pandemia. Participe da campanha nacional de solidariedade. Vamos precisar de todo mundo”.

No site é possível ver as ações que já estão em andamento e outras que ainda estão sendo delineadas e como todas “passam a ser articuladas entre si, ganhando força pela unidade”.

Empatia e liberdade

Gilberto Carvalho, um dos apoiadores do movimento, destacou, durante o lançamento que “o objetivo da campanha é criar um clima nacional de solidariedade, em que as pessoas se envolvam no acolhimento e apoio às principais vítimas que morrem pela doença, falta de cuidados e fome“.

Para isso, a intenção é reunir quatro forças: solidariedade, protestos, propostas e cobranças ao governo para que apoie as pessoas mais vulneráveis.

Eliane Martins, do Movimento de Trabalhadores por Direito, salienta que não vamos passar por esta crise rapidamente e, por isso, “é preciso que essa energia da solidariedade derrube os “valores do individualismo, do empreendedorismo, de toda essa conversa de méritos. Uma crise como essa, avassaladora, em 15 dias derruba esse discurso. O que sempre existiu e é da condição humana é empatia e liberdade. Cuidado é nos afetarmos pelo outro”.

Sim, a realidade que vivemos, hoje, é muito dramática. A pandemia revelou a insuficiência do sistema que prioriza o lucro e não a vida. Com o coronavírus, a vida de todos está em risco, mas especialmente quem vive em situações de maior vulnerabilidade e precariedade.

A campanha destaca que ser individualista não vai garantir “a sustentabilidade da vida das pessoas em um país tão desigual, com tanto desemprego, trabalho informal e fome. Para problemas coletivos, precisamos de saídas coletivas”.

E acrescenta: “A solidariedade é um princípio das organizações populares. É uma prática política permanente, que concretiza nossas ações no presente e, ao mesmo tempo, aponta para o novo mundo que queremos construir. A solidariedade é um eixo fundamental da transformação social e, hoje, ela se faz especialmente necessária”.

Agora, assista à mensagem de Chico Buarque:

Foto: Divulgação

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Deixe uma resposta