PUBLICIDADE

Temperaturas globais devem atingir novos recordes nos próximos 5 anos, alerta Organização Meteorológica Mundial

Temperaturas globais devem atingir novos recordes nos próximos 5 anos, alerta Organização Meteorológica Mundial

Se o clima já tem estado mais quente, prepare-se! A Organização Meteorológica Mundial (OMM) emitiu um alerta nesta quarta-feira com a previsão de que a temperatura global deve atingir novos recordes nos próximos cinco anos, exacerbada pelo impacto do El Niño e ainda, pelo acúmulo de gases de efeito estufa na atmosfera da Terra.

Segundo a entidade, há uma probabilidade de 66% de que média anual da temperatura no planeta entre 2023 e 2027 fique 1,5°C acima dos níveis da era pré-industrial. E há uma chance de 98% de que, pelo menos um dos próximos cinco anos ou do período como um todo, será o mais quente já registrado na história.

“Este relatório não significa que excederemos permanentemente o nível de 1,5°C especificado no Acordo de Paris, que se refere ao aquecimento de longo prazo ao longo de muitos anos. No entanto, a OMM está soando o alarme de que iremos ultrapassar temporariamente o nível de 1,5°C com frequência cada vez maior”, diz Petteri Taalas, secretário-geral da organização.

Ele afirma ainda que espera-se que um aquecimento do El Niño se desenvolva nos próximos meses e isso se combine com as mudanças climáticas induzidas pelo homem para empurrar as temperaturas globais para um “território desconhecido”.

“Isso terá repercussões de longo alcance para a saúde, segurança alimentar, gestão da água e meio ambiente. Precisamos estar preparados”, ressaltou.

O El Niño é um fenômeno natural, causado pela desaceleração dos ventos alísios, que sopram na região do Equador. Sem eles, o calor se intensifica nos oceanos, já que as águas não se movimentam.

Abaixo alguns dos pontos levantados pelo novo relatório da Organização Meteorológica Mundial:

– A temperatura média global em 2022 foi cerca de 1,15°C acima da média de 1850-1900. A influência de resfriamento das condições de La Niña durante grande parte dos últimos três anos refreou temporariamente a tendência de aquecimento de longo prazo. Mas a La Niña terminou em março de 2023 e um El Niño está previsto para se desenvolver nos próximos meses. Normalmente, o El Niño aumenta as temperaturas globais no ano seguinte ao seu desenvolvimento – neste caso, seria 2024;

– A temperatura média anual global perto da superfície para cada ano entre 2023 e 2027 está prevista entre 1,1°C e 1,8°C acima da média de 1850-1900;

– O aquecimento do Ártico é desproporcionalmente alto. Em comparação com a média de 1991-2020, prevê-se que a temperatura atípica seja mais de três vezes maior que a média global;

– Os padrões de precipitação [chuva] previstos para a média de maio a setembro de 2023-2027, em comparação com a média de 1991-2020, sugerem aumento no Sahel, norte da Europa, Alasca e norte da Sibéria, e redução para esta temporada na Amazônia e partes da Austrália.

Leia também:
Relatório do IPCC não é mais um alerta, mas uma mensagem final: questão de sobrevivência!
IPCC traça cenário avassalador de injustiça climática em novo relatório: “essa vulnerabilidade tem cor, raça, gênero, etnia e geografia”
Litoral brasileiro cada vez mais quente: nos últimos 40 anos, ondas de calor aumentaram entre 84% e 188% no sul e sudeste do país
Temperatura global acima de 3oC deixará Rio de Janeiro embaixo d’água

Foto de abertura: John McColgan, Bureau of Land Management, Alaska Fire Service. – Alaskan Type I Incident Management Team, Public domain, via Wikimedia Commons

Comentários
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Notícias Relacionadas
Sobre o autor
PUBLICIDADE
Receba notícias por e-mail

Digite seu endereço eletrônico abaixo para receber notificações das novas publicações do Conexão Planeta.

  • PUBLICIDADE

    Mais lidas

    PUBLICIDADE