Suécia anuncia investimento milionário em energias renováveis

vista aérea da suécia que investirá em energias renováveis

A pouco mais de três meses para a realização da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (CPO21), em Paris, a Suécia toma uma posição forte – e de liderança – em relação a outros países da Europa.

Em anúncio oficial sobre o orçamento para 2016, o governo sueco afirmou que fará um gasto extra de US$546 milhões em energias renováveis e ações para combater as mudanças climáticas. O objetivo é que a Suécia se torne o primeiro país do mundo a não depender de combustíveis fósseis, como carvão, petróleo e gás, principais responsáveis pelo efeito estufa, que provoca o aquecimento da superfície terrestre.

“Nossas crianças devem crescer em um ambiente livre de substâncias tóxicas e os poluidores devem pagar por aquilo que estão fazendo. Esta é a base da nossa política”, disse o primeiro-ministro Stefan Löfven. Desde o final do ano passado, uma coalizão de partidos verdes faz parte da administração federal.

Os países escandinavos têm feito forte investimento em iniciativas para reduzir sua pegada de carbono. Em julho, a Dinamarca anunciou que durante um dia específico daquele mês conseguir gerar, através de suas fazendas eólicas, mais energia do que a demanda interna do país.

Entre os setores prioritários para o governo sueco estão os de energias solar e eólica, desenvolvimento de armazenamento de eletricidade, redes de transmissão inteligentes, construção sustentável e transporte limpo (investimento em uma frota de ônibus elétricos e fornecimento de subsídios para a compra de carros elétricos e híbridos). Apenas o mercado de células fotovoltaicas receberá investimento de US$ 58 milhões por ano entre 2017 e 2019. Atualmente cerca de 35%  da eletricidade utilizada no país escandinavo já vem de fontes renováveis.

“A Suécia deverá ser pioneira em iniciativas para a adaptação ao clima”, ressaltou a ministra das finanças, Magdalena Andersson. “Ao definirmos metas ambiciosas, o país terá papel de líder nas negociações internacionais para um novo acordo climático global”.

As autoridades suecas declararam ainda que aumentarão o orçamento do fundo para projetos relacionados ao clima em países em desenvolvimento para US$ 60 milhões.

Dentro do pacote para o orçamento do ano que vem, foram contempladas também a área de educação e a criação de mais empregos. Stefan Löfven não divulgou entretanto, uma data limite para que o país alcance seus objetivos. Todavia, a capital, Estocolmo, anunciou que até 2050 acabará com sua dependência nos combustíveis fósseis.

Leia também:
Trens da Holanda funcionarão somente com energia eólica
Índia inaugura primeiro aeroporto 100% solar do mundo
Carros elétricos serão recarregados nas ruas de Munique

 

Foto: domínio público/pixabay

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta