Sob pressão nos Jogos Olímpicos de Inverno, uma das maiores fabricantes de patins anuncia que não usará mais couro de canguru

Com os olhos do mundo inteiro em Pequim, e especialmente nos Jogos Olímpicos de Inverno, nos pés e esquis de centenas de atletas, a empresa holandesa Viking não teve como fugir da pressão e mobilização feitas pela Proteção Animal Mundial e anunciou que deixará de fabricar seus patins com couro de canguru.

A iniciativa para pressionar a Viking, uma das principais e mais famosas fabricantes de patins de gelo, partiu da organização após a divulgação, no final do ano passado, de um relatório que denunciou 56 companhias que comercializavam algum tipo de produto que utilizava carne ou pele de cangurus. Entre elas aparecia a Viking, além de outras marcas como Decathlon, Hanos e Pets Place.

A Holanda é um dos maiores importadores globais de “matéria-prima” proveniente dos cangurus. A carne é vendida a restaurantes, açougues ou é transformada em ração para animais de estimação. E o couro é utilizado para fazer patins, sapatos, chapéus e outros acessórios de moda.

Segundo a organização, cerca de 1,6 milhão de cangurus selvagens são mortos na Austrália, por ano, para esses fins. A matança é realizada durante a noite, quando os animais se tornam mais vulneráveis. Muitos dos tiros disparados não são imediatamente fatais, provocando uma morte lenta e dolorosa, ou ainda, mutilações permanentes. Além disso, filhotes são deixados sozinhos ou então, espancados até a morte porque “não são lucrativos para a indústria”.

Ainda de acordo com a Proteção Animal Mundial, ao longo de dez anos, entre 2000 e 2009, aproximadamente oito milhões de joeys (jovens cangurus) morreram como “danos colaterais” da caça.

“Cangurus não são produtos, são animais silvestres. Os materiais sintéticos são o substituto perfeito e vemos que o mundo esportivo está se comprometendo com isso. Felizmente, o uso de todos os tipos de couro natural logo será coisa do passado”, comemorou Dennis Vink, gerente de Campanha de Vida Silvestre da Proteção Animal Mundial na Holanda.

A Viking informou que irá vender o atual estoque, ainda produzido com couro de canguru, mas a confecção com esse tipo de material será encerrada imediatamente.

“Materiais sintéticos como couro sintético e plástico estão em alta. Também podemos fazer patins de alta performance com esses materiais, então a necessidade de couro de canguru desapareceu. A nova coleção, a ser apresentada no próximo verão, já será livre de cangurus”, declarou a empresa.

Leia também:
Itália aprova lei que determina fechamento de todas as fazendas de vison e bane criação de animais para venda da pele
Israel se torna primeiro país do mundo a proibir comercialização de peles de animais
Couro? Não, folhas!
PETA faz campanha inteligente (e macabra) contra o consumo de couro de animais exóticos
Couro de pirarucu brasileiro ganha prêmio internacional

Fotos: patins (reprodução Facebook Viking) e cangurus (domínio público/pixabay)

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Um comentário em “Sob pressão nos Jogos Olímpicos de Inverno, uma das maiores fabricantes de patins anuncia que não usará mais couro de canguru

  • 17 de fevereiro de 2022 em 11:11 AM
    Permalink

    Ok. Nem couro de cangurus, nem peles de qualquer outro animal, nem lã, nem carne de qualquer outra criatura viva, que tenha pai e mãe e filhos, que respire, ame viver e envelhecer em paz, assim como qualquer um de nós, que se considera superior aos animais que explora, tortura e mata, porque, palidamente apenas, ensaia SER BOM.

    Resposta

Deixe uma resposta