“Se um bando de estudantes conseguiu levar milhões de pessoas às ruas, imagine o que poderíamos fazer juntos se tentássemos”, diz Greta sobre a crise climática

"Se um bando de estudantes conseguiu levar milhões de pessoas às ruas, imagine o que poderíamos fazer juntos se tentássemos", diz Greta sobre a crise climática

A ativista sueca Greta Thunberg fez uma aparição surpresa no maior festival de rock do Reino Unido, o Glastonbury, uma espécie de Woodstock britânico, que nasceu em 1970, influenciado pelo movimento hippie e do “paz e amor”. Depois do hiato de dois anos sem ser realizado por causa da pandemia, o evento aconteceu no último final de semana.

Diante de milhares de espectadores – 200 mil pessoas eram esperadas nos cinco dias de evento (muitos ficam acampados ali) -, a jovem estudante de 19 anos mandou sua mensagem sobre a crise climática:

“Estamos nos aproximando do precipício… Não deixem que eles nos arrastem mais um centímetro para mais perto da borda”, alertou. “Não só se tornou aceitável que os líderes mintam – é quase o que esperamos que eles façam”, completou ela sob aplausos.

Como em outros discursos, Greta mencionou novamente o conceito de esperança (leia mais aqui).

“Esperança não é algo que é dado a você. É algo que você tem que conquistar. Não pode ser obtido passivamente, esperando que alguém faça alguma coisa. É preciso agir. Sair da sua zona de conforto. E se um bando de estudantes conseguiu levar milhões de pessoas às ruas, imagine o que todos nós poderíamos fazer juntos se tentarmos”, conclamou a multidão.

A ativista lembrou que a mudança climática é a maior crise global da humanidade.

“E devemos falar sobre ela o tempo todo e em todos os lugares, até onde nossas vozes possam ir e ainda mais longe. Precisamos falar sobre isso em matérias, jornais, filmes e músicas; nas mesas de café da manhã, reuniões de almoço, encontros de família; em elevadores e paradas de ônibus; e em lojas rurais… e festivais de música como Glastonbury”.

Greta se tornou uma referência mundial em 2019 quando inspirou milhões de estudantes a irem para as ruas protestar contra a inação de governos para combater a crise climática. Indicada ao Prêmio Nobel da Paz, escolhida como ‘Personalidade do Ano’ pela revista Time e homenageada por uma série de outras publicações e entidades, a adolescente não mediu esforços para ressaltar que é preciso escutar a ciência.

"Se um bando de estudantes conseguiu levar milhões de pessoas às ruas, imagine o que poderíamos fazer juntos se tentássemos", diz Greta sobre a crise climática

Greta no palco Pirâmide do Festival Glastonbury

Leia também:
Greta lançará livro sobre a crise climática com mais de 100 colaboradores do mundo todo, entre eles, três brasileiros
Nome de nova espécie de sapo descoberta no Panamá homenageia a ativista Greta Thunberg
“O que os líderes brasileiros estão fazendo com os povos indígenas e a natureza é vergonhoso”, diz Greta em sessão virtual no Senado
Greta Thunberg recorda sua primeira greve há 3 anos e diz que, hoje, milhões lutam pelo clima: “as pessoas querem justiça”

Foto de abertura: reprodução Facebook Greta Thunberg

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.