“Se encontrar, mate!”, recomendam autoridades sobre nova espécie de inseto invasor nos Estados Unidos

"Se encontrar, mate!", recomendam autoridades sobre nova espécie de inseto invasor nos Estados Unidos

Ela não deixa de ser bonita. Com pintas em suas asas, que têm cores vermelhas, pretas, bege e branca, além do corpo amarelo, a mosca-lanterna-pintada (Lycorma delicatula) é originária da China e da Coreia do Norte. Como no caso de outras espécies invasoras e exóticas – lembra da vespa gigante asiática?! -, não se sabe ao certo como esse inseto chegou aos Estados Unidos, mas que ele chegou, chegou! E que transtornos está causando!

2014 foi a primeira vez que essa mariposa foi registrada em território americano. Suspeita-se que tenha vindo para o país junto com produtos importados, como carregamentos de madeira. Desde que foi vista em Berks, na Pensilvânia, há sete anos, ela se espalhou para outros 34 condados, que estão em quarentena. Isso significa que moradores e empresas estão proibidos de mover artigos que possam abrigar os insetos ou seus ovos, incluindo materiais de paisagismo, árvores e plantas, resíduos de construção e potes, paletes e engradados. As restrições se estendem a itens externos, como churrasqueiras, móveis, fogueiras e até casas móveis.

A presença do inseto também foi detectada em quatro outros estados e mais cinco relataram infestação da praga. A recomendação das autoridades locais é clara. “Se encontrar, mate! Se livre dela!”.

Inofensiva para os humanos e outros animais, a mosca-lanterna-pintada devora vorazmente plantações de frutas, videiras, plantas ornamentais e madeira.

“Esta praga invasiva tem gosto por amêndoas, maçãs, damascos, uvas, pêssegos e ameixas. Ela também mastiga madeiras nobres como carvalho, nogueira e choupo. Várias estimativas colocam o dano econômico potencial em bilhões de dólares”, alerta o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos.

Os especialistas explicam que no outono as fêmeas colocam entre 30 e 50 ovos. As autoridades ressaltam que qualquer infestação deve ser informada às autoridades locais porque esses insetos precisam ser exterminados com produtos adequados.

O estudo publicado na revista Nature em março, High and rising economic costs of biological invasions worldwide (Custos econômicos altos e crescentes de invasões biológicas em todo o mundo), revela que espécies invasoras causaram US$ 28,6 bilhões de prejuízos por ano no mundo, desde 1970.

"Se encontrar, mate!", recomendam autoridades sobre nova espécie de inseto invasor nos Estados Unidos

*Com informações do jornal The Guardian

Leia também:
Espécie exótica, endêmica ou invasora? Se você não souber a diferença, a gente explica!
Em poucas semanas é encontrado em Fernando de Noronha um terceiro peixe-leão, espécie invasora, predadora e venenosa
Mais um estado tenta liberar cultivo do panga, espécie exótica invasora que coloca em risco a biodiversidade local
Madrid fará abate e esterilização de periquitos para reduzir superpopulação da ave invasora
Um é invasor, outro é nativo. Adivinha quem está ganhando a batalha?

Fotos: divulgação Departamento de Agricultura dos Estados Unidos

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta