Sasha foi deixado com poucos dias de vida num abrigo na Polônia e sua dona, que fugiu da Ucrânia, prometeu voltar para buscá-lo

Sasha foi deixado com poucos dias de vida num abrigo na Polônia e sua dona, que fugiu da Ucrânia, prometeu voltar para buscá-lo

Sasha é um cabrito, um filhotinho de bode pigmeu. Nasceu com um problema nas pernas dianteiras. E com poucos dias de vida precisou ser entregue ao Centro de Adoção ADA, um abrigo de animais na cidade de Przemysl, na Polônia, a apenas 30 minutos da fronteira com a Ucrânia. Ao deixá-lo ali, sua dona, uma ucraniana que estava fugindo da guerra e não sabia bem ao certo ainda para onde conseguiria ir, prometeu que voltaria para buscá-lo.

Se fosse deixado pra trás, Sasha morreria. Agora está sob os cuidados dos veterinários do ADA. Ao lado de outras centenas de animais, a grande maioria, cães e gatos.

Criado há 30 anos, o abrigo sempre acolheu e cuidou de animais abandonados e não apenas domésticos. Os recebia, tratava e depois encaminhava para organizações parceiras. Mas nunca antes os profissionais do local e voluntários tinham enfrentado uma situação de guerra.

Nas últimas semanas, em operações arriscadas, a equipe tem cruzado a fronteira para resgatar animais no país vizinho. Só até o dia 15 de março, já eram mais de 300 gatos e cães trazidos de Lviv. Muitos têm chegado subnutridos, desidratados e com ferimentos provocados por explosões, bombardeios e tiros.

Sasha foi deixado com poucos dias de vida num abrigo na Polônia e sua dona, que fugiu da Ucrânia, prometeu voltar para buscá-lo

Um dos muitos cães que aguardam por adoção agora

A ADA é uma das muitas organizações que têm salvado animais da guerra. Como escrevi em outra reportagem, a A PETA Alemanha também já conseguiu levar para a Polônia centenas de cães e gatos (leia mais aqui)

No meio de tantas histórias tristes e sofrimento, Sasha se tornou mais um dos símbolos da guerra na Ucrânia. Indefeso, agora ele conta com o amor e a compaixão dos veterinários poloneses.

Sasha foi deixado com poucos dias de vida num abrigo na Polônia e sua dona, que fugiu da Ucrânia, prometeu voltar para buscá-lo

O veterinário Radosław Fedaczyńsky abraça o pequeno Sasha

Pedido de ajuda

Atuando na capacidade máxima, o ADA necessita de ajuda financeira para poder receber mais animais, realizar novas operações de resgate na Ucrânia e comprar remédios e outros itens de necessidade imediata para o tratamento dos bichos.

Caso você tenha condições de ajudar, é possível fazer doações em dólar americano neste link e em euros aqui.

Abaixo uma reportagem produzida pela rede CNN sobre o trabalho feito pela equipe do ADA:

*Com informações da CNN Internacional e First Post

Leia também:
Estressada com barulho dos bombardeios, mãe abandona filhote de lêmure, agora cuidado pela equipe do zoológico de Kiev
Animais do zoo de Kiev são levados para Polônia, mas elefantes e único gorila da Ucrânia permanecem na capital sob bombardeios
Filhote de rinoceronte, de espécie rara e em risco de extinção, é batizado de “Kiev”, em zoológico na República Checa

Foto: reprodução vídeo SWNS (abertura) e reprodução Facebook Centrum Adopcyjne “Ada”

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta