São Paulo amplia oferta de quartos em hotéis para moradores de rua com mais de 60 anos, os mais vulneráveis ao coronavírus

São Paulo amplia oferta de quartos em hotéis para moradores de rua com mais de 60 anos, os mais vulneráveis ao coronavírus

Eles são duplamente mais vulneráveis a contrair a COVID-19. Além de ter mais de 60 anos, faixa etária que mais sofre com a infecção provocada pelo novo coronavírus e apresenta o maior número de mortes, moradores de rua vivem em situação que não permite o cuidado com a higiente, nem o distanciamento social.

Para tentar proteger essa população da pandemia, a prefeitura de São Paulo tem oferecido quartos em alguns hotéis da cidade para os sem-teto mais idosos.

Ontem (09/07) foi anunciada a ampliação dessa iniciativa com a contratação de 100 vagas temporárias, sendo 50 delas no Hotel Windsor e as outras 50 no Hotel Rivoli, ambos no centro da capital.

Os moradores que irão para os hotéis são selecionados pelos técnicos dos Centros de Acolhida para Adultos, que fazem o encaminhamento para as acomodações (duplas ou individuais).

Nesses locais, os idosos recebem alimentação e os quartos passam diariamente por serviço de limpeza e manutenção. Além disso, é oferecido atendimento social, realizado pela Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social e outras organizações não-governamentais parceiras do projeto.

A intencão da prefeitura é em breve poder aumentar o número de hospedagens.

São Paulo amplia oferta de quartos em hotéis para moradores de rua com mais de 60 anos, os mais vulneráveis ao coronavírus

Quarto disponibilizado em um dos hotéis do centro de São Paulo

Os números da COVID-19 em SP

De acordo com levantamento divulgado pelo Governo de São Paulo, os casos confirmados de coronavírus no estado chegam a quase 350 mil e as mortes passam de 17 mil. As vítimas com mais de 60 anos representam 74,5% dos óbitos.

A capital concentra o maior número de casos: 146 mil. Mas há uma boa notícia. Nos últimos dias foi observada uma leve queda no registro de novos casos e óbitos por dia, conforme mostra gráfico abaixo.

São Paulo amplia oferta de quartos em hotéis para moradores de rua com mais de 60 anos, os mais vulneráveis ao coronavírus

Entre os principais fatores de risco associados à mortalidade da COVID-19 no estado de São Paulo estão cardiopatia (58,6%), diabetes mellitus (43,3%), doenças neurológicas (11,1%) e renal (9,9%) e pneumopatia (8,4%). 

*Com informações da Prefeitura de São Paulo

Leia também:
Hotéis do Rio de Janeiro oferecem estadia a idosos de comunidades carentes para que eles possam se proteger do coronavírus
Aplicativo ‘Tem Açúcar?’ une vizinhos a idosos durante quarentena do coronavírus
Rooms Against Covid: projeto que ajuda profissionais de saúde que precisam de acomodação temporária chega ao Brasil

Fotos: ANPR/FotosPúblicas (abertura) e Edson Lopes Jr./Secom (quarto)

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta