Registro de tigresa siberiana abraçando uma árvore é vencedor do Wildlife Photographer of the Year 2020

Registro de tigresa siberiana abraçando uma árvore é vencedor do Wildlife Photographer of the Year 2020

Parece mais uma pintura. Entretanto, é uma fotografia. E o russo Sergey Gorshkov levou quase um ano para conseguir esse registro raro e belíssimo de uma tigresa siberiana “abraçada” a uma árvore. Ele foi feito com câmeras que tinham sensor de movimento, colocadas em alguns pontos do Leopard National Park. O flagrante rendeu a ele o prêmio principal deste ano do Wildlife Photographer of the Year, uma espécie de Oscar da fotografia mundial.

A fotografia que recebeu o título de “Abraço” mostra o momento em que o animal, uma fêmea da espécie (Panthera tigris altaica) esfrega seu corpo contra um abeto, uma árvore centenária, na Manchúria, para deixar seu cheiro e marcar seu território.

O tigre siberiano, também conhecido como Amur, é uma subespécie encontrada em regiões do extremo oriente russo, nordeste da China e Coreia do Norte.

Devido à caça – tigres eram mortos para a retirada de seus ossos e pele -, a população desse animal chegou a ter apenas entre 20 e 30 indivíduos na natureza. Graças a esforços de conservação, hoje estima-se que sejam cerca de 550.

Sergey Gorshkov, que no passado foi adepto da caça, mudou seu olhar sobre os animais depois de uma viagem para a África. O fotógrafo é o fundador do Russian Union of Wildlife Photographers.

Há 56 anos, o Wildlife Photographer of the Year, promovido pelo Museu de História Natural de Londres, escolhe as melhores imagens de vida selvagem e fotojornalismo registradas por profissionais do mundo inteiro.

Além de promover e valorizar o trabalho de fotógrafos internacionais, o objetivo da competição é também aumentar a conscientação sobre a importância da preservação e conservação da fauna e da flora do planeta.

Este ano, o concurso recebeu quase 50 mil inscrições. A cerimônia com a divulgação dos vencedores foi realizada virtualmente por causa da pandemia do novo coronavírus.

Demais vencedores do Wildlife Photographer of the Year 2020

Registro de tigresa siberiana abraçando uma árvore é vencedor do Wildlife Photographer of the Year 2020

Categoria Retrato Animal
Mogens Trolle, Dinamarca

Registro de tigresa siberiana abraçando uma árvore é vencedor do Wildlife Photographer of the Year 2020

Categoria Comportamento Anfíbios e Répteis
Jaime Culebras, Espanha

Registro de tigresa siberiana abraçando uma árvore é vencedor do Wildlife Photographer of the Year 2020

Categoria Comportamento Mamíferos
Shanyuan Li, China

Registro de tigresa siberiana abraçando uma árvore é vencedor do Wildlife Photographer of the Year 2020

Categoria Jovem Fotógrafo do Ano (11 a 14 anos)
Sam Sloss, Itália/Estados Unidos

Categoria Comportamento Aves
Jose Luis Ruiz Jiménez, Espanha

Categoria Comportamento Invertebrados –
Frank Deschandol, França

Categoria Jovem Fotógrafo do Ano (15 a 17 anos) –
 Liina Heikkinen, Finlândia

Categoria Debaixo D’Água
Songda Cai, China

Categoria História de Fotojornalismo
Paul Hilton, Reino Unido/Austrália

Categoria Portfólio
Ripan Biswas, Índia

Leia também:
Wildlife Photographer of the Year divulga destaques da edição 2020, entre eles, flagrante dos incêndios na Amazônia
Esforços de proteção: tigre siberiano que viveu em cativeiro volta à floresta e agora dá à luz a dois filhotes
Número de tigres no planeta aumenta pela primeira vez depois de 100 anos

Fotos: divulgação Wildlife Photographer of the Year

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta