Rede Balsear: cerâmica que traz a força das mulheres e a marca da Mata Atlântica

Peças em cerâmica que exaltam espécies da Mata Atlântica, produzidas por um grupo de mulheres artesãs que buscam preservar e promover as potencialidades do local onde vivem. Que, ao mesmo tempo em que destacam a natureza, trazem em si a força das mulheres que as cunharam.

Assim é o trabalho da Rede Balsear. Localizada praticamente às margens da represa Billings, no bairro Santa Cruz, região conhecida como Pós-Balsa, em São Bernardo do Campo, a Rede molda verdadeiras obras de arte em cerâmica. São fruteiras, pratos e outros itens que podem ir ao forno, na cozinha, além de artigos de decoração de variados padrões e tamanhos e colares.

A Balsear surgiu em 2014, a partir do apoio da Fundação Criança (fundação pública municipal com missão, diretrizes e objetivos focados na defesa e garantia de direitos de crianças, adolescentes e jovens), com apoio da empresa Scania e da Prefeitura de São Bernardo. A necessidade das mães – cujos filhos são assistidos pela Fundação – de gerarem renda, motivou a promoção de cursos de qualificação profissional.

Suas peças já foram expostas em diversos espaços, entre eles a exposição Fresh From Brasil, realizada pela Objeto Brasil na Wanted Design, em Nova York, dentro da programação da NY Design Week, em maio deste ano. E, recentemente, na 31ª Craft Design, feira de negócios voltada para lojistas do setor de decoração e design, realizada na cidade de São Paulo.

“Estamos na zona rural de São Bernardo do Campo, usamos a folha da taioba, do chuchu, do maracujá, da mamona, papiroba, capuchinha e de muitas outras espécies da região”, diz Ana Lúcia de Carvalho, uma das artesãs da Balsear.

As folhas são gravadas na cerâmica, resultando em peças únicas. “As nossas peças já são identificadas pelas características muito próprias. A Rede Balsear trabalhou junto com a Incubadora de Empreendimentos Solidários de São Bernardo e a UNISOL (Central de Empreendimentos Econômicos Solidários) para definir o tipo de peça que seria melhor comercializada no mercado”

Recentemente, a rede recebeu da Scania um pedido de produção de 150 peças de cerâmica a serem distribuídas no programa de turismo industrial desenvolvido pela Prefeitura de São Bernardo do Campo, no qual as pessoas visitam as empresas. As peças serão entregues a quem visitar as instalações da indústria, ao mesmo tempo em que divulgam a parceria entre esta, a Fundação Criança e a Rede Balsear.

“O maior desafio é convencer as pessoas do grupo a acreditarem no seu valor, capacidade e potencial. A geração de renda não é imediata, precisamos reaprender e começar a pensar como economia solidária, como empreendedoras e não assalariadas”, define Ana.

Foto: Divulgação/Rede Design Possível

Jornalista e mestre em Antropologia. Coordenou a Comunicação da Secretaria do Verde da Prefeitura de São Paulo – quando criou as campanhas ‘Eu Não Sou de Plástico’ e, em parceria com a SVB, a ‘Segunda Sem Carne’. Colaborou com a revista Página 22, da FGV-SP, e com a Unisol Brasil. Hoje é conectora – trabalha linkando projetos e pessoas de todas as áreas na comunicação para um mundo melhor

Mônica Ribeiro

Jornalista e mestre em Antropologia. Coordenou a Comunicação da Secretaria do Verde da Prefeitura de São Paulo – quando criou as campanhas ‘Eu Não Sou de Plástico’ e, em parceria com a SVB, a ‘Segunda Sem Carne’. Colaborou com a revista Página 22, da FGV-SP, e com a Unisol Brasil. Hoje é conectora – trabalha linkando projetos e pessoas de todas as áreas na comunicação para um mundo melhor

Deixe uma resposta