Raízes da União: projeto vai plantar 1 milhão de árvores de espécies nativas no Brasil

Raízes da União: projeto vai plantar 1 milhão de árvores de espécies nativas no Brasil

A lista de benefícios é enorme: árvores dão sombra, flores e frutos, melhoram a qualidade do ar, reduzem a poluição sonora e contribuem para o equilíbrio do clima nas cidades, sobretudo, tornando-as menos quentes nos meses de verão, além de absorvem dióxido de carbono (CO2) da atmosfera, um dos gases de efeito estufa apontado como principal responsável pelo aquecimento global. Então, como não celebrar um projeto que pretende plantar 1 milhão de árvores no Brasil?

A iniciativa é da empresa farmacêutica União Química, que ao completar 85 anos, lançou o “Raízes da União”. O objetivo é alcançar a meta das 1 milhão de mudas nos próximos cinco anos. Os lugares escolhidos para o plantio das árvores são onde estão localizadas as unidades industriais da empresa: São Paulo, Minas Gerais e Distrito Federal.

As espécies escolhidas para o plantio serão todas nativas dos biomas Mata Atlântica e Cerrado, presentes nesses estados. Também foram selecionadas áreas específicas, seguindo critérios técnicos, para receber as árvores, como Unidades de Conservação e terras degradadas no entorno de nascentes, rios e córregos, por exemplo, para que haja um serviço ecossistêmico maior.

O ponta-pé inicial do projeto será dado nesse próximo domingo, 13/03, no Parque do Ibirapuera, na capital paulista. O evento acontecerá entre às 9h e 13h. Quem passar pelo local poderá participar da ação. Serão distribuídas 2 mil mudas de árvores nativas.

Nesse primeiro momento serão plantadas 100 mil mudas na região do Sistema Cantareira, principal fonte do abastecimento de água de São Paulo. Quem vai coordenar esse processo é o Instituto de Pesquisas Ecológicas – IPÊ. De acordo com a União Química, serão entre 70 e 80 espécies de espécies nativas plantadas na área de preservação permanente de Atibainha, em Nazaré Paulista. Entre elas estão o ipê, a suinã e frutíferas como jabuticabeira e pitangueira.

“Essa parceria tem um significado muito importante para nós, que estamos em um grande esforço para regenerar a Mata Atlântica do Sistema Cantareira. Serão 100 mil árvores que irão nos ajudar a melhorar a qualidade da água e também a recompor a biodiversidade em uma área estratégica ecologicamente, que abriga espécies ameaçadas e vulneráveis e que também é fonte de vida para milhares de pessoas”, diz Suzana Machado Pádua, presidente do IPÊ. “Esse é um movimento conjunto, em parceria, porque sabemos da importância da atuação em rede pela conservação da natureza”.

Outro braço do Programa Raízes da União é o da educação ambiental. Por isso foi fechada uma parceria com o Centro de Educação Ambiental de Guarulhos, que oferecerá formação para professores e alunos da rede pública de ensino de Guarulhos, Taboão da Serra e Embu-Guaçu.

“A saúde inclui diversos aspectos, inclusive a questão ambiental, fundamental na construção de uma sociedade saudável. O programa Raízes da União é nossa maneira de contribuir e queremos cada vez mais fortalecer laços, firmar parcerias e trabalhar para que as mudanças que precisamos possam acontecer”, afirma Fernando de Castro Marques, presidente da União Química.

LANÇAMENTO RAÍZES DA UNIÃO
Parque do Ibirapuera
Data: 13 de março de 2022 (domingo)
Horário: 9h até 13h
Local: Praça da Paz – Parque do Ibirapuera – acesso pelo portão 7 (carro) e pelo portão 8 (a pé).
Av. Pedro Álvares Cabral – Vila Mariana, São Paulo (SP)

Leia também:
O planeta ainda tem 9 mil espécies de árvores desconhecidas pela ciência, 40% delas na América do Sul
A Grande Muralha Verde, iniciada em 2007 na África, ganha ‘floresta olímpica’ com 355 mil árvores
A cada segundo, 24 árvores foram derrubadas no Brasil em 2020
Etiópia planta mais de 350 milhões de árvores em apenas um dia

Fotos: domínio público/pixabay

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.