‘Proteja’: novo portal sobre áreas protegidas do Brasil é a base da maior biblioteca virtual sobre o tema

'Proteja': nova plataforma sobre áreas protegidas do Brasil é a base da maior biblioteca virtual sobre o tema

Idealizada pelo Ipam (Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazonia), Imazon (Instituto Homem e Meio Ambiente da Amazônia), ISA (Instituto Socioambiental) e Woodwell Climate Research Center, a iniciativa Proteja lançou um portal que reúne informações sobre as áreas protegidas do Brasil, como Unidades de Conservação (UC) e Terras Indígenas (TI).

E ainda conta com a parceria de 12 instituições socioambientais de reconhecimento internacional. São elas: Funbio, Fundação Vitória Amazônica, Idesam, Instituto para o Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, Imaflora, IFT, Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB), Instituto de Pesquisas Tecnológicas (Ipê), Kanindé – Associação de Defesa Etnoambiental, The Nature Conservancy (TNC), Wildlife Conservation Society (WCS) e WWF.

Partindo da premissa de que ‘ninguém protege o que não conhece’, mas, para tanto, é necessário dispor de fontes confiáveis e acessíveis na busca de informações, o projeto tem como missão informar, sensibilizar e mobilizar a sociedade, facilitando seu engajamento em ações de defesa, conservação e desenvolvimento sustentável.

A intenção do grupo é promover a educação para a compreensão, a valorização e o apoio desses territórios que têm sido alvo de tantos ataques e projetos antiambientais, visando a manutenção da biodiversidade, a possibilidade de contar com serviços ambientais, promovendo a integridade desses “santuários ecológicos” e constituindo-os como patrimônio sociocultural.

Para o grupo, “a sociedade tem um papel estratégico na conservação da sociobiodiversidade e na mitigação das mudanças climáticas, e para isso ter acesso a informações confiáveis é essencial”, conta a bióloga Fabiana Prado, do Ipê (Instituto de Pesquisas Ecológicas), uma das parceiras da iniciativa.

O portal online é a base para a construção da maior biblioteca virtual sobre áreas protegidas do Brasil e “a espinha dorsal” do novo projeto. Mas o Proteja ainda oferece outras ações bacanas para “incentivar o diálogo e a partilha de experiências, promovendo a atuação em rede em favor das áreas protegidas do país”:
– o Proteja Talks, com palestras inspiradas no formato do TED Talks, que já teve duas edições “e deverá repetir-se neste ano”, revela o site do projeto; e
– o podcast Proteja Brasil, que reúne convidados de setores diversos para um bate-papo sobre temas que impactam essas áreas.

O primeiro bioma contemplado pelo portal – para o lançamento, em 24/6 – é a Amazônia, com cerca de 700 conteúdos – entre estudos, análises, pesquisas, artigos, e-books, fotos, infográficos, vídeos e outros materiais. O plano é abordar todos os biomas brasileiros e a Mata Atlântica (foto) será o próximo.

Antes de serem publicados, os conteúdos produzidos e oferecidos por instituições passam por análise técnico-científica para assegurar a qualidade do material. E, como se trata de um projeto colaborativo, outras organizações, instituições públicas e governamentais e a população também podem participar.

“Nosso objetivo é tornar as informações disponíveis para escolas, universidades, organizações civis e governamentais, e comunidades que vivem nas áreas protegidas”, destaca Sylvia Mitraud, pesquisadora do IPAM e secretária executiva da iniciativa.

A seguir, assista à live de lançamento do portal Proteja:

Foto: Ernesto Castro

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Deixe uma resposta