Professora mexicana adapta caminhonete e cria sala de aula móvel para atender crianças sem acesso à internet, durante a pandemia

Quando somos apaixonados e comprometidos com o trabalho que realizamos, é muito difícil entregarmos os pontos diante de qualquer adversidade. Mas a pandemia provocada pelo novo coronavírus trouxe grandes desafios para a humanidade, entre eles o enfrentamento de inúmeras limitações: de mobilidade, de espaço, de agilidade, de liberdade, de privacidade… isto, sem falar das limitações materiais.

No que tange à educação, a solução, a priori, foi transferir as aulas para a internet. Mas, infelizmente, esta tecnologia não é acessível a todos, em aspectos diversos. Há muitas crianças sem acesso a essa tecnologia em casa, não só por falta de sinal, mas por falta de condições para ter um equipamento minimamente compatível. E mais: há crianças que não se adaptam à virtualidade, não conseguem aprender na tela de computador e se cansam muito fácil.

Foi com essas questões que se deparou Nay, professora de ensino fundamental de Apaseo el Grande, no estado de Guanajuato, no centro do México. Mas, para não deixar seus alunos sem aula ou atrasados por falta de concentração, encontrou uma solução genial, que só poderia vir de alguém muito dedicado a seu ofício e aos que dele dependem.

Criativa, adaptou a parte traseira de sua caminhonete, a caçamba, equipando-a com uma mesa e duas cadeiras, e se comprometeu a ir à casa de cada aluno para dar aula. Assim, todos os dias, ela transforma o carro da família numa sala de aula móvel e sai “em busca” de seus alunos.

Claro que Nay toma todas as precauções de higiene para evitar contágio. Dar aula para um aluno de cada vez e ao ar livre já faz parte desse compromisso. Além disso, todos usam máscara de proteção e mantêm o maior distanciamento possível. A professora também troca a máscara a cada novo aluno e mantém álcool gel à disposição para a assepsia das mãos e dos objetos, sempre que necessário.

Uma foto de Nay ensinando um de seus alunos em sua sala de aula móvel, publicada no Twitter (abaixo), viralizou, e transformou a professora num exemplo de dedicação, comprometimento e resiliência. Não é à toa que está aqui, também, neste post singelo.

Quem ama o que faz, não reconhece limites. Nas adversidades, é capaz de transpor barreiras que aos olhos de muitos podem parecer intransponíveis e se tornar inspiração para o mundo. E tudo que precisamos, neste momento de pandemia, é de gente inspiradora, né?

Viva Nay! Viva todos os professores dedicados que colocam acima de tudo o compromisso de ensinar as crianças para que busquem um futuro mais justo e saudável. Se você conhecer alguma iniciativa bacana assim, escreve pra gente! Vamos adorar conhecer professores e professoras inspiradores como Nay e contar suas histórias aqui no site.

Foto: Twitter de Somos de León

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Deixe uma resposta