Princípe Charles lança “Terra Carta”: um plano de recuperação para o planeta com o apoio de empresas e indústrias

Princípe Charles lança a "Terra Carta": um plano de recuperação para o planeta com o apoio de empresas e indústrias

Há mais de cinco décadas o Príncipe Charles, futuro rei do Reino Unido, é um ativista pela sustentabilidade. Em suas viagens e discursos, sempre defendeu a proteção ao meio ambiente e o combate às mudanças climáticas, ao desmatamento e à poluição dos oceanos.

Agora inspirado na Magna Carta,  um documento de 1215 que limitou o poder dos monarcas da Inglaterra, Charles lançou a “Terra Carta”, que tem como objetivo servir de base para um plano de recuperação para a natureza, as pessoas e o planeta. Na prática, a Terra Carta incentiva o setor privado a proteger a Terra, adotando a sustentabilidade e investindo US$ 10 bilhões em “capital natural” até o ano que vem.

“A interdependência entre a saúde humana e a saúde planetária nunca foi mais clara. Ao iniciarmos uma nova década, é hora de nos concentrarmos no futuro que desejamos construir e realmente deixar para as gerações vindouras. A humanidade fez um progresso incrível no século passado, mas o custo desse progresso causou imensa destruição ao planeta que nos sustenta. Simplesmente não podemos manter este curso indefinidamente”, diz Charles.

A Terra Carta apresenta dez pontos de ação e 85 recomendações para as empresas caminharem em direção a um futuro mais verde na próxima década. Ela faz parte do Sustainable Markets Initiative, movimento lançado pelo príncipe durante o Fórum Econômico Mundial de Davos, em 2020. Ele busca a descarbonização de empresas e indústrias até 2050, através de projetos que foquem em sustentabilidade e inovação, mas também, valorizem a diversidade e as tradições locais, e incluam ainda a saúde humana, a igualdade e a prosperidade.

O projeto já conta com a adesão de grandes corporações como os bancos HSBC e Bank of America, a farmacêutica AstraZeneca e a multinacional de bens de consumo Unilever.

“Neste ponto de inflexão histórico, com as vidas e meios de subsistência do presente e do futuro gerações em mente, a Terra Carta visa fornecer um roteiro para a aceleração de um futuro ambicioso e sustentável; aquele que irá aproveitar o poder da natureza combinado com o poder transformador, a inovação e os recursos do setor privado”, acredita Charles.

“Para quase todos os problemas que enfrentamos, a natureza, com o benefício de bilhões de anos de evolução, já nos forneceu as soluções. Princípios universais enraizados na harmonia dos padrões, ciclos e geometria da natureza, que civilizações antigas e povos indígenas sabem muito bem, precisam ser aproveitados para ajudar a ciência, a tecnologia, o design e a engenharia e podermos, de fato, ter um futuro sustentável”, completa o ativista e herdeiro do trono britânico.

Leia também:
“Sem florestas, não há plano B para as mudanças climáticas”, diz Príncipe Charles
Príncipe George tem aulas em contato com a natureza: boa notícia que quase ninguém leu
Meghan e Harry dirigem carro elétrico ao final do casamento que celebrou a diversidade e o feminismo

Foto: reprodução Facebook Prince Charles

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta