PUBLICIDADE

Prefeitura de BH derruba árvores no entorno do Mineirão para iniciar obras da pista de Stock Car; moradores e UFMG reagem

Prefeitura de BH derruba árvores para iniciar as obras da pista de Stock Car e moradores reagem

Texto atualizado em 29/2 para atualizar a supressão das árvores e em 28/2, às 23h, para incluir nota pública da Universidade Federal de Minas Gerais

_______________________

Apesar das mobilizações e protestos da população de Belo Horizonte, o prefeito Fuad Noman, segue firme e forte com seu plano de transformar – a qualquer custo – as ruas no entorno do estádio do Mineirão, na Pampulha, em pista de Stock Car (3,2 km) para a prova que deve acontecer entre 15 e 18 de agosto deste ano. 

O compromisso foi assinado por ele em dezembro de 2023, que só vê benesses na empreitada.

No entanto, para que a corrida aconteça, são necessárias intervenções na infraestrutura (como retirada de quebra-molas, instalação de guard-rail e arquibancadas!) e o pior: a supressão de 63 árvores nas avenidas Rei Pelé, Carlos Luz e Coronel Oscar Paschoal, autorizada pelo Conselho Municipal do Meio Ambiente (COMAM) em 21 de fevereiro por 10×2 votos.

Para compensar o impacto ambiental, a empresa que organiza a prova na cidade deverá replantar um número dez vezes maior (cerca de 688) que a de árvores derrubadas. Mas sabemos que a medida é paliativa. Além disso, não haverá obrigatoriedade de reposição local e não há data marcada para o plantio. 

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente selecionará as espécies, que poderão ser plantadas em outras áreas verdes da região da Pampulha.

Segundo Henrique Castilho, superintendente da Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap), “serão plantadas em áreas verdes, micro-florestas nos parques da regional da Pampulha. Isso vai ser determinado pela secretaria de meio ambiente”. 

Mas, segundo a ambientalista e deputada federal Duda Salabert, o projeto tocado pela prefetiura atropela o Plano Diretor e a legislação ambiental e urbanística de Belo Horizonte. “Com uma licitação repleta de irregularidades, quer implementar um autódromo no entorno do mineirão sem o devido licenciamento ambiental e urbanístico”.

Por tudo isso, moradores lutam contra a prefeitura para impedir os cortes das árvores e a realização da corrida no local, a menos que todos sejam ouvidos. Mas, hoje (28), foram surpreendidos, no meio da manhã, com a “derrubada às pressas” de dezenas de árvores. 

Prefeitura de BH derruba árvores para iniciar as obras da pista de Stock Car e moradores reagem
As primeiras árvores derrubadas hoje (28) / Foto: reprodução vídeo de Duda Salabert/Instagram

Indignados, os moradores imediatamente se mobilizaram e protestaram contra a ação e os impactos do evento na região – cerca de 30 pessoas, empunhando faixas nas quais se lia Deixe nossas árvores em paz e Fora Stock Car – e se apoderaram dos troncos caídos para fechar avenidas no local e evitar que a “matança” continuasse. Disseram, inclusive, que ficariam abraçados a eles, se necessário. 

Mas de nada adiantou. Os funcionários da prefeitura começaram derrubando 20 árvores e, mesmo sob protestos, terminaram o serviço (assista ao vídeo no final deste post).

Prefeitura de BH derruba árvores para iniciar as obras da pista de Stock Car e moradores reagem
O início da derrubada, antes dos protestos / Foto: reprodução vídeo Duda Salabert/Instagram

ambientalista Felipe Gomes participou da mobilização e contou ao jornal mineiro O Tempo que “a Prefeitura está fazendo uma operação de guerra. Para enganar todo mundo, estão com caminhões para retirar as árvores cortadas imediatamente. Mas a população está revoltada aqui, colocamos árvores no meio da pista e vamos abraçar as árvores se for preciso, não vamos deixar continuarem”. 

A maior parte das notícias destaca a realização da corrida de Stock Car, em agosto, como se tudo estivesse aprovado, no entanto, Gomes destacou que a prefeitura de BH deveria ter realizado consulta pública antes de iniciar os cortes das árvores. 

Mas não só, afinal, não se trata apenas de derrubar árvores, mas de afetar todo o entorno e seus moradores com as obras e durante a realização da prova devido ao barulho dos carros e à movimentação inerente a um evento desse estilo e porte. 

Prefeitura de BH derruba árvores para iniciar as obras da pista de Stock Car e moradores reagem
Você consegue imaginar este tipo de corrida numa cidade como Belo Horizonte? Absurdo pensar que alguém imaginou apenas benesses para a população, ainda mais com derrubada de árvores e impacto sobre pessoas e animais / Foto: Duda Barrios/divulgação Stock Car

Isso inclui os animais que vivem na região ou estão internados no hospital veterinário da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais). Por isso, a reitora encaminhou ofício à prefeitura para discutir os impactos do evento com o prefeito, uma vez que a universidade também não foi consultada.

Gomes acrescentou que, “amanhã (29), em reunião do Conselho Municipal de Política Urbana (Compur), uma das conselheiras apresentaria recurso para tentar impedir o início dos cortes. Acreditamos que a prefeitura está atropelando os prazos e adiantou o corte para evitar qualquer mudança”.

Vale lembrar que tudo isso aconteceu um dia após audiência pública em que os impactos ficaram claros e a população disse não ao empreendimento.

Irregularidades?

Ao tomar conhecimento da ação, a deputada federal mineira Duda Salabert publicou vídeos e fotos da “poda” em suas redes sociais e escreveu: 

“O exterminador de árvores Fuad Noman autorizou o corte das árvores ao redor do Mineirão para dar início às obras para a Stock car. A licitação da prova está repleta de irregularidades, então, não há certeza de que a corrida ocorrerá por causa dessas irregularidades. Mas o assassino de árvores ignorou essas questões, ignorou a opinião pública e autorizou os cortes. Uma vergonha! Já acionei a justiça!”.

Mais tarde, em nota pública a UFMG declarou: “A UFMG manifesta grande preocupação com a condução do processo de organização do evento Stock Car em Belo Horizonte, prevista para ocorrer no entorno do estádio do Mineirão, em agosto, sem que tenha sido estabelecido amplo diálogo entre organizadores e o poder público com a administração da Universidade e a comunidade universitária”.

A deputada Salabert compartilhou a nota, comentando: “nota sobre a condução irresponsável que o prefeito de BH tem dado à Stock Car”. E explicou: “Não sou contra a Stock car. É um evento importante para a economia da cidade. No entanto, a prefeitura está cometendo várias irregularidades e está tratorando a legislação ambiental. Além disso, o local que a prefeitura escolheu para a corrida é exatamente em frente ao hospital veterinário da UFMG – fato que prejudicaria a saúde dos animais”.

Segundo a reportagem de O Tempo, Henrique Castilho declarou que o município tem as autorizações necessárias para ter dado início à derrubada das árvores. “Foi feita a licitação para dar ordem de serviço, o que foi publicado no Diário Oficial do Município”, declarou ele, que ainda respondeu sobre a reunião com a reitora. 

“Chegou agora documento da reitoria da UFMG pedindo reunião com o prefeito. Vai ser marcada no momento que ela quiser, e o prefeito Fuad Noman vai recebê-la com o maior prazer”. 

Quanto ao barulho ensurdecedor produzido pelos carros durante a prova, Castilho adiantou que um professor da UFMG (não revelou o nome) deve apresentar, em breve, projeto de “barreiras de som”, para reduzir o impacto.

E o clima?

Esta semana (27), a prefeitura de BH divulgou também se manifestou nas redes sociais, alegando que é “fake” a afirmação de que Belo Horizonte perderá muitas árvores. E revelou sua falta de visão para o cenário climático do país e do muno. “Serão plantadas 688 novas árvores e a empresa produtora do evento será responsável pela sua manutenção durante cinco anos”.

Também comunicou que será tentado o transplantio de quatro, que é a transferência de uma planta adulta de um local para outro. Nem sempre com sucesso.

O total de árvores a serem derrubadas é 63, sendo 55 em vias públicas e 8 a pedido da administradora do Mineirão. 

Se a prova de Stock Car realmente for realizada em Belo Horizonte, não será a primeira em Minas Gerais: em 2017, a cidade de Curvelo, recebeu uma etapa da corrida. Mas isso é compatível com uma cidade tão urbana como BH e tantos problemas ambientais derivados do desrespeito das autoridades?

Veja, a seguir, como ficaram as avenidas no entorno do Mineirão, depois da “poda”. Que tristeza!

Com informações de G1, O Tempo

Comentários
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Notícias Relacionadas
Sobre o autor
PUBLICIDADE
Receba notícias por e-mail

Digite seu endereço eletrônico abaixo para receber notificações das novas publicações do Conexão Planeta.

  • PUBLICIDADE

    Mais lidas

    PUBLICIDADE