Piloto Nelson Piquet Jr. é flagrado cometendo infração ambiental no Parque Nacional de Lençóis Maranhenses

Piloto Nelson Piquet Jr. é flagrado cometendo diversas infrações no Parque Nacional de Lençóis Maranhenses

*Atualizado em 24/01/20

Criado em 1981, o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses fica localizado entre os municípios de Barreirinhas, Santo Amaro e Primeira Cruz e compreende uma área de 155 mil hectares, dos quais 90 mil são constituídos de dunas livres e lagoas de águas límpidas e cristalinas – ora esverdeadas, ora azuladas.

O parque está em uma área de transição entre os biomas da Caatinga, Cerrado e Amazônia. É uma unidade de conservação (UC) de proteção integral marinha costeira. Assim como outras áreas desse tipo, possui regras rígidas sobre sua visitação para mantê-lo preservado e para que o turismo cause o menor impacto possível a seus ecossistemas.

Mas infelizmente, parece que nem todos estão cientes dessas regras. Uma reportagem publicada pelo jornal Folha de S. Paulo revelou que o piloto Nelson Piquet Jr. foi flagrado no dia 31 de dezembro cometendo diversas infrações ambientais em Lençóis Maranhenses.

Em imagens postadas no Instagram (algumas foram apagadas depois), Piquet Jr., também chamado de Nelsinho (ele é filho do tricampeão mundial de Fórmula 1), aparece dirigindo um bugue com amigos e sua namorada, que tem no colo um cachorro. O texto que acompanha uma das fotos diz: “Até o Bob está aproveitando as aventuras de @canamoffroadbrasil aqui nos #lencoismaranhenses 😂”.

O Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses é administrado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), órgão vinculado ao Ministério do Meio Ambiente. Conseguimos a confirmação de um funcionário local de que Piquet Jr. foi autuado.

Entramos em contato com a assessoria de comunicação do instituto para saber quais infrações foram registradas e qual teria sido a pena/multa aplicada, e recebemos a seguinte resposta:

“Informamos que Nelson Angelo Piquet e os condutores dos outros dois veículos que o acompanhavam foram autuados no dia 31/12/2019 por ingressar com veículo motorizado em área não permitida do parque. Ao tomar ciência das normas da unidade, ele concordou com a autuação e não causou nenhum tipo de contratempo e se propôs a colaborar com a gestão do parque. Realizou ação de limpeza na praia e divulgação do programa Amigos do Parque (programa voltado para moradores dos municípios do parque que queiram ingressar na unidade com seus veículos particulares para realizar ações sociais, de monitoramento e conservação do mesmo)”.

Em suas redes sociais, Nelsinho, que construiu uma casa em uma área próxima ao parque, em Santo Amaro, também publicou fotos em que aparece um helicóptero pousando sobre as dunas.

Na postagem abaixo, de setembro de 2019, o piloto revela “Não é só de helicóptero que dá pra vim, muitas pessoas vem de jeep, quadri, bugie etc etc etc. Eu fiz um bate volta rápido pq tb fui ver a construção da casa”. A localização (georreferência) da foto é o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses.

Piloto Nelson Piquet Jr. é flagrado cometendo diversas infrações no Parque Nacional de Lençóis Maranhenses

Em outra publicação, reproduzida pela Folha de S. Paulo (e que agora não aparece mais no perfil Casa Lençóis do Instagram, estão duas garrafas da Drink B, a aguardente que Piquet Jr. lançou no ano passado.

Piloto Nelson Piquet Jr. é flagrado cometendo diversas infrações no Parque Nacional de Lençóis Maranhenses

Em resposta à reportagem da Folha, a assessoria de Nelson Piquet. Jr. afirmou que o automobilista “tem ótima relação com as autoridades ambientais de Santo Amaro e com o estafe do Parque Nacional, com quem mantém contato permanente desde 2019, quando se ofereceu para auxiliar na limpeza do derramamento de óleo que atingiu a costa nordestina”. Garantiu ainda que não houve consumo de álcool nas dependências do parque. Há seis meses teria ocorrido uma sessão de fotos e vídeos promocionais da Drink B. “As garrafas voltaram lacradas do mesmo jeito que saíram de São Luís (capital do estado).”

A assessoria de Nelsinho ressaltou também que as fotos das redes sociais “teriam sido tiradas numa área visualmente bastante similar ao cenário sob proteção federal, mas não seriam lá”.

Regras claras: e para TODOS!  

No site do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, as recomendações aos visitantes são claras. E não é porque se é famoso ou se possui (muito) dinheiro que elas não devem ser obedecidas. Pelo contrário, figuras públicas deveriam ter a obrigação de dar o exemplo.

• Os serviços de transporte e condução de visitantes devem ser realizados por veículos, condutores de veículos e condutores de visitantes credenciados. Para evitar problemas, observe se o veículo está adesivado com a logomarca do Parque Nacional e número de credenciamento e se os condutores portam os crachás de identificação;
• Não é permitido o transporte de visitantes ou a realização de passeios com veículos particulares
• É proibido a venda, porte e consumo de bebidas alcoólicas e drogas ilícitas no Parque Nacional;
• É proibido o trânsito de veículo motorizado sobre o campo de dunas livre;
• É proibido fazer fogueiras, ascender churrasqueiras ou fogareiro;
• É proibido a entrada de animais domésticos;
• É proibido entrar no Parque Nacional em quadriciclos, motos, bugres, bem como realizar enduros e/ou rallys.

Risco de impacto ambiental e especulação imobiliária

Em setembro do ano passado, noticiamos aqui, no Conexão Planeta, que há um projeto de lei que quer mudar os limites dos Lençóis Maranhenses e abrir novas áreas para o turismo.

A proposta do senador Roberto Rocha (PSDB/MA) está em tramitação no Senado, em Brasília. A justificativa para a mudança, segundo ele, é que quando o Parque dos Lençóis Maranhenses foi criado, na década de 80, praticamente não havia ferramentas precisas de geoprocessamento disponíveis.

Mas o parecer de um estudo técnico da Universidade Federal do Maranhão e organizações ambientais criticam o projeto, que poderia trazer impactos ambientais ao local, além de especulação imobiliária do setor turístico (leia mais aqui).

A autuação do piloto famoso é um exemplo do que pode vir a acontecer, com maior frequência, caso propostas como essa se tornem realidade. É de conhecimento geral que órgãos como o ICMBio tiveram corte de funcionários nos últimos anos e não têm gente suficiente para fiscalizar áreas tão grandes.

———————————————————————————————

*Texto atualizado para incluir a resposta do ICMBio, recebida na manhã de 24/01/20

*No perfil do Instagram do Conexão Planeta no final do dia, o piloto Nelson Piquet Jr. deu a seguinte declaração:

“Nós estávamos todos certos, com automóveis registrados e com guia, mas o problema foi que o ICMBio tem obrigação de por bandeiras nos limites do parque para saber onde fica. Mas olha que surpresa, não tinha porque estragaram com o tempo e nunca arrumaram. Então, somente com GPS que sabe, mas não era nosso caso porque fomos dar um passeio como fazemos todos os dias. Meio difícil num lugar desse tamanho saber exatamente onde é o limite do parque. O mais engraçado é que tem pelos menos umas 50 Toyotas com turistas indo diariamente e nunca dá nada… No dia que nós passamos sem querer onde não devia, vira essa festa”.

Piquet Jr. escreveu ainda. “Pergunta ao ICMBio se as bandeiras estão lá… Pergunta quais são os direitos dos moradores de Santo Amaro. Pergunta se alguém vem pra cá fazer limpeza, ajudar os animais locais”.

O Conexão Planeta já enviou os questionamentos acima ao ICMBio.

———————————————————————————–

Nelson Piquet Jr. apagou suas acusações contra o ICMBio e todas suas mensagens em relação à reportagem no perfil do Conexão Planeta no Instagram.

Leia também:
Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses pode se tornar Patrimônio Mundial Natural
Sobe para 249 o número de localidades atingidas pelo óleo: Lençóis Maranhenses está entre elas

Fotos: reprodução Instagram

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta