Pesquisadores identificam 30 novas espécies de invertebrados marinhos em Galápagos

Pesquisadores descobrem 30 novas espécies de invertebrados marinhos em Galápagos

Galápagos é um arquipélago com treze ilhas, que ficam espalhadas em quase 8 mil km2, na costa do Equador, um dos mais intocados habitats de vida selvagem do planeta, referência de estudo para muitos pesquisadores e local que teve extrema importância para a elaboração da Teoria da Evolução, do naturalista inglês Charles Darwin.

Apesar de muitas pesquisas serem feitas no arquipélago, a grande maioria delas sempre focou na vida que habitat em suas águas mais superficiais. Todavia, em 2015, um grupo de cientistas de diversos países e instituições diferentes conduziu uma expedição nas águas mais profundas de Galápagos. Com a ajuda de veículos subaquáticos operados remotamente, eles exploraram sete localidades, a mais de 3.300 metros de profundidade, e recolheram material para ser analisado posteriormente.

O resultado desse estudo foi divulgado recentemente em um artigo científico, na publicação Scientific Reports, e revela que foram identificadas 30 novas espécies de invertebrados marinhos. Entre elas estão lagostas atarracadas, corais gigantes, corais de bambu, estrelas-do-mar e esponjas.

“Essas descobertas confirmam que Galápagos é um laboratório vivo com processos biológicos e ecológicos em andamento e ainda a serem explorados, o que a torna um local excepcional que merece todos os nossos esforços para ser conservado”, afirma Paulo Proaño, ministro do Meio Ambiente e Água do Equador.

“O mar profundo continua sendo a última fronteira da Terra e este estudo fornece um vislumbre das comunidades menos conhecidas das Ilhas Galápagos. Este mundo, que Darwin nunca viu, representa um ambiente único e primitivo. Agora é nossa responsabilidade garantir que continue assim por gerações futuras”, ressaltou Pelayo Salinas de León, pesquisador da Fundação Charles Darwin, cientista conservacionista do projeto National Geographic Pristine Seas e principal autor do artigo.

Pesquisadores identificam 30 novas espécies de invertebrados marinhos em Galápagos

Algumas das outras espécies identificadas

A expedição explorou pela primeira vez três montanhas submarinas, situadas perto das ilhas de Darwin e Wolf, ao norte do arquipélago. A área abriga a maior população de tubarões do mundo.

Pesquisadores identificam 30 novas espécies de invertebrados marinhos em Galápagos

Uma das espécies coletadas pelos robôs subaquáticos

*Com informações do Parque Nacional de Galápagos

Leia também:
Depois de salvar sua espécie da extinção em Galápagos, Diego irá se aposentar
Depois de 200 anos, espécie de iguana é reintroduzida na Ilha de Santiago, em Galápagos
Identificada nova espécie de tartaruga gigante em Galápagos

Fotos: Ocean Exploration Trust/Nautilus Live

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta