Para estimular economia local e levar alimentos para idosos durante quarentena, Califórnia lança programa de entrega de refeições gratuitas

Para estimular economia local e levar alimentos para idosos durante quarentena, Califórnia lança programa de entrega de refeições gratuitas

Estado mais populoso dos Estados Unidos, com quase 40 milhões de habitantes, a Califórnia foi uma das primeiras a registrar casos do novo coronavírus naquele país. Todavia, com medidas rápidas e rígidas, conseguiu conter, da melhor maneira possível, a proliferação da COVID-19. Segundo a Universidade Johns Hopkins, até este momento, são 83 mil casos confirmados e 3,4 mil mortes.

Aos poucos, o governo do estado está reabrindo a economia. Atualmente, a Califórnia, que implementou em 19 de março o chamado lockdown, ordem para que todos ficassem em casa, está na fase 2 da reabertura – lojas e restaurantes, por exemplo, só podem funcionar com entregas em casa ou na frente da loja.

Nesse estágio, continua a recomendação para que pessoas acima de 65 anos ou que fazem parte de grupos de risco, com doenças pré-existentes, continuem em casa.

Mas para garantir que idosos em situação de vulnerabilidade e de comunidades de baixa renda possam se alimentar corretamente, o governador da Califórnia, Gavin Newsom, lançou o programa “Great Plates Delivered: Home meals for seniors”, que tem dois objetivos principais: fornecer refeições gratuitas para as pessoas com mais de 65 anos, que vivem sozinhas ou com algum companheiro/a da mesma faixa etária, e ainda, ajudar proprietários de restaurantes locais a reabrir seus negócios, extremamente impactados pela pandemia.

Também podem se cadastrar no programa cidadãos entre 60 e 64 anos anos, que façam parte do grupo de risco ou tenham sido diagnosticados com o coronavírus, e por isso, precisam ficar de quarentena.

“Estimamos que 1,2 milhão de idosos na Califórnia morem sozinhos, socialmente isolados, incapazes de cozinhar suas próprias refeições”, afirmou Newsom.

Para as pessoas cadastradas no projeto serão entregues três refeições diárias. Há uma preocupação para que elas sejam saudáveis e nutritivas: os restaurantes deverão oferecer pratos com ingredientes com pouco sódio (sal). O almoço e o jantar devem conter uma porção de fruta fresca ou um vegetal. Não são permitidas bebidas açucaradas, mas apenas aquelas com menos de 24 calorias por porção ou suco com 100% de fruta.

Além disso, existe uma atenção com o impacto ambiental do programa. Para reduzir a pegada de carbono, os restaurantes usam carnes e produtos de origem local, sempre que possível.

A princípio, a iniciativa irá até o começo de junho, mas se preciso, será prorrogada.

No Brasil, como a Mônica Nunes contou, tem um aplicativo bem bacana para quem quer ajudar as pessoas mais velhas nesse momento tão delicado: o app ‘Tem Açúcar?’, que une vizinhos a idosos durante a quarentena.

Leia também:
‘Hortas Cariocas’ doa toneladas de alimentos para famílias de baixa renda em dificuldades devido à crise do coronavírus
1,5 bilhão de crianças no mundo sofrem impacto pelo fechamento de escolas: 369 milhões dependem da merenda para se alimentar
‘Em Ação’: iniciativa que distribui refeições para moradores de rua durante a pandemia precisa da sua ajuda!
Solidariedade Vegan: projeto de João Gordo e Vivi Torrico entrega marmitas veganas para moradores de rua de São Paulo

Foto: reprodução Facebook California Department of Public Health

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta