Oxford e Coventry devem se tornar primeiras cidades da Inglaterra a ter frotas de ônibus totalmente elétricas

Oxford e Coventry devem se tornar primeiras cidades da Inglaterra a ter frotas de ônibus totalmente elétricas

Em fevereiro do ano passado, o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, anunciou um pacote d £5 bilhões, cerca de R$ 35 bilhões, para melhorar o sistema de transporte público. Entre as medidas estava uma competição que convidava cidades a submeter propostas para transformar suas frotas de ônibus em életricas.

O objetivo do financiamento do governo é tornar o serviço mais sustentável, verde e combater a poluição, um grande problemas para os britânicos (leia mais aqui).

Oxford e Coventry, cidades ao norte de Londres, são as duas cidades que devem ser as primeiras a ter ônibus totalmente elétricos circulando pelas suas ruas. Elas já apresentaram suas propostas e caso sejam aprovadas receberão £ 50 milhões, aproximadamente R$ 350 milhões para não só substituir toda a frota por versões elétricas, mas também instalar nova infraestrutura, como postos de recarga e pagar por atualizações da rede elétrica.

Outras 17 cidades também apresentaram propostas. O governo acredita que a mudança para uma frota de ônibus mais limpa e ecológica ajudará a melhorar a qualidade do ar e reduzir as emissões, e assim, “descarbonizar” o sistema de transporte público, bem como estimular negócios locais e a oferta de empregos.

“À medida que construímos uma recuperação pós COVID-19 mais verde, podemos fornecer às pessoas um transporte mais ecológico e um ar mais limpo”, disse Grant Shapps, secretário de Transportes.

Em novembro do ano passado, o Reino Unido também revelou um novo e ambicioso plano pelo clima: a “Revolução Industrial Verde”. Entre as áreas que receberam atenção especial estão energias eólica e nuclear, transporte, meio ambiente e tecnologias inovadoras. A meta principal é reduzir drasticamente as emissões de gases de efeito estufa até 2050.

Outra medida adotada recentemente também para reduzir a poluição foi a antecipar para 2030 a proibição da venda de veículos a gasolina e a diesel.

*Com informações da assessoria de imprensa do Governo do Reino Unido

Leia também:
Parlamento britânico é o primeiro do mundo a declarar “emergência ambiental e climática”
Novos táxis pretos de Londres serão todos elétricos
Casas de bairro de Londres serão aquecidas com energia gerada pelo metrô
Londres anuncia instalação de mais bebedouros em projeto para combater uso de garrafas plásticas

Foto: domínio público/pixabay

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta