Ousado, onça resgatada com patas queimadas no Pantanal, recebe alta veterinária

Ousado, onça resgatada com patas queimadas no Pantanal, recebe alta veterinária

Em meio ao caos e a tragédia que ocorre no Pantanal, uma boa notícia. Ousado, a onça-pintada que foi resgatada com as patas com queimaduras de segundo grau por causa dos incêndios na região, respondeu muito bem ao tratamento realizado pelo Instituto de Preservação e Defesa dos Felídeos da Fauna Silvestre do Brasil em Processo de Extinção (Nex), em Corumbá do Goiás.

Em setembro, Ousado foi encontrado caído no Parque Estadual Encontro das Águas, próximo a Porto Jofre, na cidade de Poconé, no Mato Grosso, pela equipe de resgate de fauna da Ampara Silvestre.

Com a ajuda de organizações parceiras, a onça-pintada foi levada em uma van climatizada para o Nex, em uma viagem que durou 13 horas.

Ontem, em suas redes sociais, a Ampara Silvestre divulgou a notícia maravilhosa: Ousado recebeu alta!

“Foram 23 dias de tratamento intenso, 11 anestesias, 6 sessões de laser e 5 sessões de ozônioterapia. Muita dedicação da equipe do nosso querido parceiro @nex_noextinction… A emoção toma conta de todos que participaram ativamente do processo, mas também de todos que contribuíram para que o resgate e tratamento dele fossem possíveis”.

O macho, encontrado caído, no Parque Estadual Encontro das Águas, com queimaduras de segundo grau nas patas, respondeu muito bem ao tratamento com aplicações de laser e ozônio. Agora o próximo passo é o planejamento para sua volta à natureza

Ousado durante uma das sessões de tratamento

O macho, encontrado caído, no Parque Estadual Encontro das Águas, com queimaduras de segundo grau nas patas, respondeu muito bem ao tratamento com aplicações de laser e ozônio. Agora o próximo passo é o planejamento para sua volta à natureza

A pata mostra a excelente recuperação do animal

Neste vídeo abaixo, Ousado aparece comendo um osso e o segurando com as próprias patas. Desde que chegou ao instituto, em 13 de setembro, o macho ganhou 9 kg.

Na segunda-feira (19/10), Ousado finalmente começou a fazer seu caminho de volta ao Pantanal. O animal foi levado, em uma van, por uma equipe do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) para o mesmo local onde foi encontrado. Eles devem chegar na região no início da terça-feira. Ele recebeu um colar GPS para poder ser monitorado.

Ousado já era uma onça-pintada conhecida. Recebeu esse nome porque sempre aparecia para turistas, mostrando que era destemido. Ele foi o segundo animal de sua espécie a ser levado para o Nex. O primeiro foi uma fêmea, Amanaci.

Infelizmente, apesar de ela ter apresentado melhora nos ferimentos de suas patas e voltado a caminhar lentamente, como relatamos aqui, neste outro post, há dúvidas de que ela possa voltar à natureza. Amanaci perdeu suas garras e sem elas, dificilmente conseguirá se alimentar sozinha novamente.

As equipes que trabalham com o resgate de animais no Pantanal ainda precisam de muita ajuda. Veja como você pode contribuir com esses esforços, inclusive, nas ações da Ampara Silvestre, nesta outra reportagem: Como ajudar o Pantanal

———————————————————————————————–

*Texto alterado em 19/10/20 para atualizar informações sobre o retorno de Ousado ao Pantanal

Leia também:
Pantanal: o que podemos esperar após os incêndios?
Incêndios no Pantanal podem provocar uma redução na população de onças-pintadas no Brasil
Ao aliar ecoturismo e pesquisa científica, o Onçafari trabalha pela preservação do maior felino das Américas
“O Pantanal sempre pediu socorro. Agora, gritamos tão alto que a solidariedade veio de todo o país”

Fotos: reprodução vídeo Estadão (abertura) e demais Facebook/divulgação Ampara Silvestre/@raffa_ribeirro

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta