PUBLICIDADE

Os primeiros passos do filhote de cervo malhado das Filipinas, um dos animais mais raros do mundo

Desde setembro, os veterinários e conservacionistas do Zoológico de Chester, na Inglaterra, se deleitam com o nascimento de um dos animais mais raros do mundo: o cervo malhado das Filipinas.  Este é um acontecimento muito precioso para a espécie que está “no limite da existência”.

A chegada do adorável filhote se deu graças a programa vital de reprodução para conservação realizado entre zoológicos da Europa, que visa garantir a sobrevivência de espécies ultra-raras, classificadas como altamente ameaçadas na natureza. Neste caso, foi um pedido do governo filipino. 

O pequeno nasceu com 30 cm e 2 kg e foi batizado de Hércules, herói e semideus grego dotado de força ilimitada, agilidade e velocidade.

Foto: Zoológico de Chester/divulgação

“Temos uma tradição de equipe em nomear cervos recém-nascidos dentro do tema ‘espaço’”, conta Emma Evison, gerente da equipe do zoológico. “E, dada a importância de sua chegada para a espécie, decidimos batizá-lo de Hércules, em homenagem à constelação de estrelas”, completa.

Foto: Zoológico de Chester/divulgação

O cervinho ainda vai crescer muito e deve fazer jus ao nome que recebeu. Esta semana, deu os primeiros passos ao ar livre ao lado da mãe Nova e do pai Cosmos, no recinto que compartilha com eles.

“Depois de esperar ansiosamente 240 dias pela sua chegada, foi um grande alívio vermos um pequeno feixe de pelos enrolado ao lado de Nova em uma manhã”, relata Evison. “Ela é ótima mãe e tem feito tudo perfeitamente – alimentando-o a cada poucas horas e mantendo-o ao seu lado”.

Foto: Zoológico de Chester/divulgação
Foto: Zoológico de Chester/divulgação

Ameaças  

O cervo manchado das Filipinas é a espécie de cervo mais ameaçada do mundo. E isso se deve aos seres humanos – que o caça indiscriminadamente – e não a predadores, visto que não existe nenhum em seu habitat atual. 

Mas ainda há outra causa de seu quase desaparecimento – o desmatamento – que, junto com a caça, fez com que esse animal desaparecesse das ilhas Visayan (onde vagava em grandes rebanhos) e, agora, seja encontrado apenas em duas pequenas ilhas – Panay e Negros -, explica Stuart Young, gerente regional do programa de campo do zoológico para as ilhas do Sudeste Asiático.

O declínio da população de cervos manchados das Filipinas passou quase que despercebido. Pesquisas recentes indicam que pode haver apenas 300 indivíduos na natureza e especialistas da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) alertam que existe grande probabilidade de a espécie ser extinta no futuro.

Por isso, cada nascimento em cativeiro é celebrado e, ao mesmo tempo, tenso. Trata-se de um momento “crítico que pode aumentar a rede de segurança da população em zoológicos de conservação em toda a Europa”, explica Evison. 

Conservação

É importante destacar que os esforços do Zoo de Chester vão muito além da reprodução em cativeiro. A instituição cuida para que novos indivíduos da espécie nasçam, oferecendo toda a estrutura que garanta sua sobrevivência, mas também protege habitats naturais da espécie (como as ilhas de Panay e Negros) e promove introduções na natureza.

Há mais de 20 anos, “o zoológico tem financiado e ajudado a construir centros vitais de reprodução de conservação nas duas ilhas, compartilhando habilidades e conhecimentos assimilados por especialistas aqui, no zoológico, para ajudar a conservar, com sucesso, esta espécie altamente ameaçada em seu território”, conta Young.

O resultado? Em 2020, 32 cervos foram introduzidos, com segurança, em uma reserva natural protegida nas Filipinas. “Desde então, o número de nascimentos na natureza quase duplicou a população e estamos muito felizes em informar que eles estão prosperando”, finaliza Young.

Características

Mesmo ameaçado pelos humanos – caça e desmatamento -, o cervo malhado das Filipinas conta com algumas características que podem protegê-lo de ataques.

Seus ouvidos giratórios, que procuram, a todo tempo, sons ao redor, permitem ao ele manter-se alerta para qualquer perigo potencial.

Já seus cascos afiados o ajudam a correr em florestas densas e pastagens, e sua pelagem manchada facilita a camuflagem.

No que tange à reprodução, o macho é maior que a fêmea e usa os chifres grossos para lutar por ela. Ele também “ruge” para desafiar machos rivais durante a época de acasalamento.

A seguir, assista ao belo registro dos primeiros passos de Hércules, junto à mãe, realizado pelo Zoológico de Chester:

Com informações do Zoológico de Chester

Foto (destaque): Zoológico de Chester/divulgação

Comentários
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Notícias Relacionadas
Sobre o autor
PUBLICIDADE
Receba notícias por e-mail

Digite seu endereço eletrônico abaixo para receber notificações das novas publicações do Conexão Planeta.

  • PUBLICIDADE

    Mais lidas

    PUBLICIDADE