Orcas presas entre blocos de gelo no norte do Japão podem ter escapado, anuncia governo local

Ontem, um vídeo feito por um pesquisador de vida marinha causou comoção nas redes sociais por registrar o desespero de 13 orcas (algumas muito jovens) presas entre blocos de gelo na costa da cidade de Rausu, na península de Shiretoko, ao norte do Japão (contamos aqui).

Aglomeradas, elas se debatiam e se alternavam para respirar na superfície.

Orcas presas entre blocos de gelo no norte do Japão podem ter escapado, anuncia governo local

Por serem parentes de golfinhos e não de baleias (apesar de serem chamadas de ‘baleias assassinas’), elas não aguentam ficar muito tempo na água sem respirar (até 15 minutos, no máximo), como as cachalotes. E, por isso, não conseguiam se desvencilhar da planície espessa de gelo.

A situação levou à pressão popular do governo japonês incentivada pela organização internacional de proteção animal PETA, para que as autoridades tentassem chegar até elas num barco quebra-gelos.

Hoje, autoridades da cidade de Rausu anunciaram que, em seu último monitoramento, as orcas não foram encontradas, por isso, podem ter conseguido escapar do local. “Acreditamos que elas conseguiram escapar com segurança”.

Eles acreditam que elas podem ter saído entre lacunas no gelo porque, nas imagens colhidas por drone, pareciam ter sangramento nas mandíbulas, que podem ser resultado de tentativas de fuga.

Gostaria de ver um registro das orcas livres para ter certeza de seu paradeiro. Do jeito que estavam encurraladas pelo gelo, as aberturas podem ter se fechado e as encurralado abaixo da superfície espessa. Ou será que elas realmente tentaram escapar, com sucesso? Só vendo.

O video abaixo foi registrado por Seiichiro Tsuchiya, especialista em vida marinha, e viralizou nas redes, embasando manifesto do PETA:

Foto (destaque): reprodução de vídeo

Deixe uma resposta

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.