PUBLICIDADE

ONG pede ajuda da população para encontrar a peixe-boi Flor

ONG pede ajuda da população para encontrar a peixe-boi Flor

Em 2019, uma filhote de peixe-boi foi encontrada, sozinha, encalhada na Praia das Agulhas, em Fortim, no Ceará. A organização não-governamental Aquasis, que trabalha pela extinção de espécies no Nordeste, ficou responsável pelos cuidados do animal.

Batizada de Flor, a peixe-boi passou por um longo processo de reabilitação e há dois meses, em abril, a fêmea foi reintroduzida à natureza em Icapuí, a cerca de 80 km ao sul de onde ela tinha sido achada.

Flor recebeu o número 15 próximo da cabeça e da cauda, e também, um pequeno dispositivo de monitoramento para que a equipe da Aquasis pudesse acompanhar seu deslocamento e ter certeza de que ela estava se adaptando bem de volta à vida selvagem.

PUBLICIDADE

Todavia, no dia 30 de maio, o equipamento que emite o sinal da localização da peixe-boi caiu ao ficar preso em uma rede de tresmalho (de pesca) nas águas de Maracajaú, no município de Maxaranguape, no Rio Grande do Norte.

“Flor pode estar em qualquer região do litoral do Rio Grande do Norte ou da Paraíba, por isso precisamos de sua ajuda para encontrá-la. Ela é fundamental para garantir o bem-estar e segurança da peixe-boi”, diz a Aquasis, que usou suas redes sociais para divulgar o ocorrido.

A maneira mais fácil de identificar Flor é através do número 15 em suas costas. A orientação da Aquasis é, caso Flor seja avistada, entrar em contato imediatamente com os telefones abaixo:

RN: PCCB (84) 98843-4621 | CEMAM (84) 99943-0058
PB: Projeto Viva o peixe-boi-marinho (83) 99961-1338 / (83) 99961-1352
CE: AQUASIS (85) 99188-2173 / (85) 99800-0109

ONG pede ajuda da população para encontrar a peixe-boi Flor

O peixe-boi-marinho (Trichechus manatus) é considerado o mamífero aquático com maior grau de ameaça de extinção no Brasil. Extremamente dócil, ele chega a medir 4 metros de comprimento e pesar até 800 kg. Herbívoro, se alimenta de algas marinhas e folhas de mangue, e ainda de uma planta chamada capim-agulha, daí ter recebido o nome popular de peixe “boi”.

Entre suas principais ameaças estão a captura acidental em redes de pesca, perda de habitat e a ocupação costeira desordenada. 

——————-

Agora o Conexão Planeta também tem um canal no WhatsApp. Acesse este link, inscreva-se, ative o sininho e receba as novidades direto no celular

Leia também:
ONG faz campanha pela volta do peixe-boi Tico ao Brasil
Resgatado recém-nascido, Gabriel é primeiro peixe-boi reintroduzido no litoral do Rio Grande do Norte

Foto de abertura: reprodução Instagram Aquasis

Comentários
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Notícias Relacionadas
Sobre o autor
PUBLICIDADE
Receba notícias por e-mail

Digite seu endereço eletrônico abaixo para receber notificações das novas publicações do Conexão Planeta.

  • PUBLICIDADE

    Mais lidas

    PUBLICIDADE