A advogada Adriana Inori, da etnia Kanamari, é nomeada presidente da nova comissão indígena da OAB do Amazonas

OAB do Amazonas cria comissão indígena e nomeia a advogada Adriana Inori, da etnia Kanamari, como presidente

Se você nos acompanha, é possível que se lembre de ter lido, recentemente (aqui no site ou em nossas redes sociais) sobre a etnia Kanamari. É de seu repertório a belíssima canção entoada pelo indigenista Bruno Pereira no vídeo que viralizou na internet em 13 de agosto, enquanto Bruno e o jornalista Dom Phillips ainda eram considerados desaparecidos. 

A gravação foi feita por Yura Ni-Nawavo Marubo, assessor jurídico da UNIVAJA (associação dos povos indigenas do Vale do Javari) durante expedição realizada na TI Vale do Javaricomo contamos aqui.  

Com a criação da comissão indígena pela Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Amazonas (OAB-AM), os Kanamari, assim como os povos indígenas do estado, ganham ainda mais visibilidade e proteção.

Mas esta boa notícia tem mais um detalhe importante: a advogada Adriana Inori, que pertence à essa etnia, foi quem assumiu a presidência da nova comissão em 21 de julho. Seu vice é o advogado Fernando Cruz, que aparece com ela na imagem acima.

“De vítimas a protagonistas da nossa história”

No discurso de posse, Inori contou que foi a única de sua família que teve oportunidade de estudar e se aperfeiçoar para defender as causas indígenas. “Para assegurar os direitos fundamentais nessa causa tão importante, que é a causa das populações indígenas. Fazer com que nós passemos de vítimas a protagonistas da nossa história”.

“Nós temos uma história, uma cultura que deve ser protegida e meu papel é trabalhar em parceria com órgãos, firmar diálogos e projetos que possam contribuir para as etnias indígenas”, declarou. 

Direito e acesso à Justiça

OAB do Amazonas cria comissão indígena e nomeia a advogada Adriana Inori, da etnia Kanamari, como presidente
Adriana Inori e o presidente da OAB, Jean Cleuter Mendonça / Foto: Jefferson da Silva, Divulgação OAB-AM

De acordo com o presidente da OAB, Jean Cleuter Mendonça, a comissão tem, por objetivo, assegurar a proteção dos direitos dos povos indígenas, fiscalizar as pautas análogas em todo estado, “sempre atenta para defender os povos e as comunidades, pautados no princípio da constituição federal, que garante proteção a todos”.

“Os indígenas são os verdadeiros donos desta terra! A acessibilidade é constitucional, o acesso à justiça é constitucional e a OAB não pode permitir que os indígenas não tenham acesso à Justiça”. 

E finalizou: “Essa é uma briga da nossa gestão. A comissão vai fazer um estudo, discutir a melhor abordagem que podemos adotar para construir uma defesa das pautas indígenas. O desafio é grande e nós vamos em frente”.
_______________

Foto (destaque): Jefferson da Silva/Divulgação OAB-AM

Fonte: OAB-AM

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.