O rapper Emicida, o jornalista Chico Pinheiro e o sheik Rodrigo Jaloul se unem ao Padre Julio Lancellotti contra a aporofobia

Você já ouviu falar em aporofobia? Aporofobia é o ódio ou a repulsa ao pobre que, no Brasil, só aumentou com o governo de Bolsonaro, cuja política econômica desastrosa intensificou a miséria e tem levado muitas pessoas a viverem nas ruas.

Por isso, o Padre Julio Lancellotti vem imprimindo uma ‘cruzada’ contra tanto preconceito a partir da popularização desse termo nas redes sociais, exemplificado com imagens dessa prática abominável, em cidades diferentes do Brasil.

Em fevereiro de 2021, protagonizou uma mobilização popular contra uma iniciativa da prefeitura de São Paulo (gestão de Bruno Covas), que instalou um ‘jardim de pedras’ sob os viadutos Dom Luciano Mendes de Almeida e Antônio de Paiva Monteiro, na Avenida Salim Farah Maluf, no bairro do Tatuapé (contamos aqui).

A “obra” era visivelmente higienista e resultado da ‘arquitetura hostil’ adotada em grandes centros urbanos para impedir que a ‘população da rua’ ocupe os espaços públicos. Aporofobia!

Padre Julio Lancellotti, entre as pedras sob o Viaduto viaduto Dom Luciano
Mendes de Almeida, Tatuapé, SP – Foto: Henrique Campos

A denúncia do Padre Julio viralizou rapidamente e a prefeitura não teve outra opção: retirou as pedras do local. Ele acompanhou a operação e, num dado momento, pegou o porrete da mão de um dos funcionários da prefeitura e, mesmo cansado, quebrou uma das pedras. Muito simbólico.

Dias depois promoveu um ato amoroso no mesmo local, com a distribuição de flores aos moradores de rua daquela região, que teve a adesão de pessoas que amam e apoiam o padre.

#contraaaporobia

Ontem, 24/5, o jornalista Chico Pinheiro (que saiu recentemente da TV Globo), o rapper Emicida e o sheik Rodrigo Jaloul (conhecido por suas ações de caridade) estiveram com o Padre Julio para apoiá-lo numa campanha contra a aporofobia, chamando a atenção dos brasileiros.

Em vídeo divulgado por Chico em seu Twitter (que reproduzo no final deste post), o padre explicou: “Nós estamos pedindo o seu apoio para entrar na luta contra a aporofobia. A aporofobia é o ódio ao pobre, o rechaço ao pobre, o afastamento do pobre“.

E acrescentou: “Há muita literatura nesse sentido, nós estamos criando um observatório sobre aporofobia, mas precisamos que o grupo artístico crie uma campanha com a hashtag #contraaaporofobia”.

Ele contou, ainda, que há projetos de lei em tramitação no Senado, na Assembleia Legislativa de São Paulo e em várias Câmaras Municipais que buscam equiparar a aropofobia ao racismo e à homofobia. Ou seja, criminalizar qualquer agressão a pessoas pobres e vulneráveis, que vivem nas ruas, para que aporofobia seja considerada crime

O pastor Henrique Vieira foi citado em publicações de Padre Julio como um dos apoiadores dessa campanha, entre outros. Você topa participar?

Assista ao vídeo publicado por Chico Pinheiro:

Fotos: reproduções do Instagram de Padre Julio e do Twitter de Chico Pinheiro

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Deixe uma resposta