O presidente eleito dos Estados Unidos Joe Biden homenageia as 400 mil vítimas da pandemia no país

O presidente eleito dos Estados Unidos Joe Biden homenageia as 400 mil vítimas da pandemia no país

Os Estados Unidos atingiram nesta terça-feira (19/01) uma marca trágica. Já são mais de 400 mil mortos pela COVID-19. E um dia antes de assumir a presidência do país, Joe Biden participou de uma cerimônia emocionante na capital, Washington D.C., para lembrar e homenagear as milhares de vítimas.

Em frente a um dos mais famosos cartões-postais da cidade, o espelho d’água que fica entre o Lincoln Memorial e o Washington Monument, Biden, ao lado da esposa, Jill, e a futura vice-presidente Kamala Harris e seu marido, falaram sobre as vidas perdidas durante a pandemia.

“Por muitos meses, sofremos sozinhos. Esta noite, sofremos e começamos a nos curar juntos”, disse Kamala.

“Às vezes é difícil lembrar, mas é assim que curamos. É importante fazer isso como nação”, completou Biden. “Vamos acender as luzes na escuridão da fonte sagrada da reflexão e lembrar de todos que perdemos”.

Foram então acesas 400 luminárias para homenagear os americanos que morreram e fez-se então um minuto de silêncio.

A cerimônia contou ainda com uma breve prece feita pelo arcebispo de Washington, o cardeal Wilton Gregory, e músicas cantadas pela profissional de saúde do Michigan, Lori Marie Key, e a cantora gospel Yolanda Adams, que apresentou Hallelujah.

Além da capital, diversas outras cidades americanas se iluminaram para fazer um tributo às vítimas da COVID-19. Em Nova York, o topo do Empire State Building ficou vermelho.

Esta é a primeira homenagem feita em Washington D.C. aos mortos pelo coronavírus. O atual presidente, Donald Trump, passou os últimos meses tentando reverter o resultado da eleição, que ele perdeu, e ignorou totalmente a tragédia que se abateu sobre o país. Sem controle, a pandemia atingiu números nunca antes registrados. Apenas nas últimas cinco semanas, 100 mil pessoas perderam a vida.

Biden assumirá o governo nesta quarta (20/01) e pela primeira vez, em 152 anos, um presidente não passará o cargo para seu sucessor. Trump sai pela porta dos fundos da Casa Branca, mas não conseguirá nunca apagar de sua história a morte de 400 mil americanos durante sua gestão, já que desde o começo da pandemia minimizou o vírus e debochou do uso da máscara de proteção.

O Empire State Building foi iluminado de vermelho em homenagem aos americanos vítimas da pandemia

Leia também:
“Não há tempo a perder. Estamos no meio de uma crise”, diz Joe Biden, sobre mudanças climáticas

Joe Biden, presidente eleito dos EUA, escolhe apenas mulheres para cargos de comunicação do alto escalão do governo
Quais são os compromissos do recém-eleito presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, para o combate à crise climática
Joe Biden, candidato à presidência dos Estados Unidos, anuncia plano de U$ 2 trilhões contra a crise climática

Fotos: reprodução Facebook Joe Biden e Twitter Biden Inaugural Committee

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Um comentário em “O presidente eleito dos Estados Unidos Joe Biden homenageia as 400 mil vítimas da pandemia no país

  • 20 de janeiro de 2021 em 6:44 AM
    Permalink

    Quando um governante inicia o seu mandato, humildemente homenageando os ausentes, a gente dobra os joelhos com ele, rezando junto pela paz do mundo.

    Resposta

Deixe uma resposta