O favorito ‘Professor Polvo’ ganha Oscar de melhor documentário

Não faltou torcida. Boa parte de quem assistiu à história de amizade e amor entre um mergulhador e um polvo fêmea e as transformações que esse encontro processa no primeiro – contada por Pippa Ehrlich e James Reed – torcia por sua vitória no Oscar 2021.

E, ontem à noite, Professor Polvo levou a estatueta mais cobiçada do cinema na categoria melhor documentário!

Desde que o filme foi lançado na plataforma Netflix, em agosto de 2020, tem conquistado fãs em todas as partes do mundo. 

A repercussão foi tão grande e rápida, que o documentário ganhou as redes sociais e indicações para o Directors Guild of America (não ganhou!), ao Oscar, ao BAFTA (“o Oscar britânico”) e ao PGA Awards 2021 – prêmio do Sindicado de Produtores de Hollywood. 

Contamos sobre os dois primeiros prêmios conquistados. E, agora, podemos contar que ele ganhou os três! Merecido.

Foto: Sea Change Project/Divulgação

Uma lição amorosa de conexão com a natureza

“Esta é uma pequena história pessoal que se desenrolou em uma floresta marinha no topo da África. Mas, em um nível mais universal, espero que tenha fornecido um vislumbre de um tipo diferente de relação entre os seres humanos e o mundo natural “, declarou Pippa Ehrlich durante a transmissão online.

O protagonista da história, Craig Foster, contou que seu relacionamento com o polvo o ensinou muito sobre a fragilidade da vida e nossa conexão com a natureza. E o transformou em um pai melhor para seu filho, que também aparece no filme, mais no fim da história. 

Durante o processo do filme, Foster, que é documentarista, criou uma ONG de conservação: a Sea Change Project, com a qual protege a Grande Floresta Marinha Africana e divulga detalhes da experiência vivida numa floresta submersa na costa sulafricana. Seus embaixadores são o violoncelista Yo-Yo Ma e a atriz e ativista ambiental Zolani Mahola.

Foto: Sea Change Project/Divulgação

James Reed, por sua vez, agradeceu Craig pela lição aprendida durante a realização do filme: “Ele nos mostrou que um homem pode fazer amizade com um polvo, e isso nos faz perguntar o que mais é possível”.

Professor Polvo se manteve favorito ao Oscar, mesmo com concorrentes tão poderosos como Colletive, sobre tragédia na Romênia, e o chileno Agente Duplo, bastante criativo, de acordo com a crítica. E mais: Crip Camp, The Mole Agent e Time.

Ehrlich sempre se declarou encantada com a resposta dos fãs – que pode ter influenciado o júri do Oscar – e lembrou, especialmente, da revelação da naturalista Jane Goodall de que seus filmes favoritos são O Senhor dos Anéis e Professor Polvo.

Foto: NetFlix/Divulgação

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Deixe uma resposta