No período de um mês, três turistas são atacados por bisões no Parque de Yellowstone nos Estados Unidos: todos estavam próximos demais

No período de um mês, três turistas são atacados por bisões no Parque de Yellowstone nos Estados Unidos: todos estavam próximos demais

No final de maio, escrevi sobre o caso de uma turista que foi chifrada e arremessada a três metros após chegar perto demais de um bisão no Parque Nacional de Yellowstone, nos Estados Unidos. A mulher, de 25 anos, estava num calçadão e o animal se encontrava próximo. Ela então decidiu chegar mais perto, foi quando ele acelerou em sua direção e a atacou. Duas outras pessoas que também estavam próximas foram atingidas.

Na época, a administração do parque usou suas redes sociais para fazer o alerta: “A vida selvagem no Parque Nacional de Yellowstone é selvagem e pode ser perigosa quando abordada. Quando um animal estiver perto de um acampamento, trilha, calçadão, estacionamento ou em uma área desenvolvida, dê espaço a ele. Fique a mais de 23 metros de distância de todos os grandes animais – bisões, alces, carneiros selvagens, veados, alces e coiotes e pelo menos 90 metros de distância de ursos e lobos. Se necessário, vire-se e vá para o outro lado para evitar interagir com um animal selvagem nas proximidades”.

Pois novamente, na semana passada, em apenas três dias, dois outros turistas desobedeceram a recomendação de manter uma distância segura desses animais e acabaram sendo atacados por bisões. O primeiro incidente ocorreu no dia 27 de junho. Um turista de 34 anos foi chifrado. “O homem estava andando com sua família em um calçadão quando um bisão atacou o grupo. Os familiares não deixaram a área, e o bisão continuou a atacar e chifrar o turista. Ele sofreu uma lesão no braço e foi transportado de ambulância para um centro médico”, informou o parque.

Dois dias depois ocorreu um novo acidente com uma mulher de 71 anos. Ela e a filha se aproximaram inadvertidamente do bisão enquanto voltavam para o carro no início da trilha. A turista sofreu alguns ferimentos, mas não corre risco de vida.

Um bisão pode pesar mais de 1 tonelada e consegue atingir uma velocidade superior a 60 km por hora. Está entre os animais considerados mais perigosos para visitantes em parques americanos.

Depois do último ataque, a administração de Yellowstone voltou a repetir: bisões são selvagens e imprevisíveis!

Maior animal terrestre da América do Norte, o bisão-americano (Bison bison) podia ser visto em rebanhos que beiravam os milhões num passado muito distante. Sua distribuição foi tão ampla que a espécie era encontrada desde o Alasca até o norte do México. Quando os primeiros colonizadores europeus colocaram o pé em terras norte-americanas, esses animais foram caçados e mortos até praticamente a extinção. No século 19, restaram menos de 100 deles na natureza. Hoje podem ser avistados em pequenas populações, em geral dentro de reservas de proteção.

Leia também:
Caso de jovem mordida por filhote de urso reforça alerta sobre perigo de interação entre seres humanos e animais selvagens
Homem morre durante corrida de touros na Espanha
Homem em Curitiba “se gaba” nas redes sociais de interação indevida e perigosa com capivaras em parque da cidade

Foto e informações: Yellowstone National Park

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.