PUBLICIDADE

No meio do coaxar de dezenas de espécies, o ouvido bem treinado de um apaixonado pela natureza descobre nova espécie de perereca

No meio do coaxar de dezenas de espécies, o ouvido bem treinado de um apaixonado pela natureza descobre nova espécie de perereca

“Nós, que vivemos no campo, conhecemos sons”, diz Donald Valera Soto. O fazendeiro e naturalista costarriquenho se gaba, com razão, do ouvido muito bem treinado. Graças à audição pra lá de aguçada, ele conseguiu identificar uma nova espécie de perereca no meio do coaxar de dezenas de outras.

Soto é um dos proprietários de uma fazenda que ele transformou numa reserva natural, a Tapir Valley Nature Reserve, em Bijagua, ao norte da Costa Rica. A primeira vez que ele ouviu o coaxar dessa perereca foi em 2018. Tinha chovido muita na região e ele estava trabalhando perto de uma lagoa num pântano. Mas foi somente seis meses depois de reparar na vocalização, que soava diferente, que o naturalista – com a ajuda de familiares, além de uma bióloga e um herpetologista (especialista em répteis e anfíbios) – conseguiu finalmente achá-la, após muitas caminhadas e buscas noturnas, horário em que esses animais estão mais ativos.

“Cresci nas florestas, andando por aí e aprendendo a identificar espécies de árvores, pássaros e sapos. Escutei essa perereca e foi quase impossível encontrá-la, já que estava muito bem camuflada”, conta ele.

Agora, cerca de quatro anos depois daquele primeiro encontro, a nova espécie foi reconhecida oficialmente pela ciência. Num artigo científico publicado recentemente no periódico Zootaxa, e que tem Soto como autor principal, o grupo descreve a perereca-do-vale-do-tapir (Tlalocohyla celeste), que tem no seu nome científico uma alusão ao rio Celeste, que passa pela região.

Com cerca de 2 centímetros, entre suas principais características estão uma linha amarela que vai até a metade de suas costas, além da axila azul e manchas vermelhas ao longo do corpo.

“Eu amo essa perereca porque ela conta uma história maior”, diz Esteban Brenes Mora, associado sênior da organização Re:wild na Mesoamérica. “Quando Donald fundou a Tapir Valley Nature Reserve, era para proteger as antas e ajudá-las a se mover entre as florestas. Ele não sabia que havia espécies completamente novas para a ciência vivendo na reserva, mas se ele não tivesse protegido este lugar para as antas, talvez não tivéssemos descoberto essa perereca”.

No meio do coaxar de dezenas de espécies, o ouvido bem treinado de um apaixonado pela natureza descobre nova espécie de perereca

A perereca-do-vale-do-tapir

*Com informações e entrevistas do site Re:wild

Leia também:
A perereca que sonhava com o beijo do príncipe encantado e virou almoço
Fotógrafo registra momento raro em que milhares de pererecas fertilizam ovos das fêmeas para perpetuação da espécie
Nova perereca-chocolate pode ajudar a entender melhor a origem de espécies da Austrália
‘Scinax tropicalia’: a nova espécie de perereca da Mata Atlântica que homenageia o Tropicalismo

Fotos: Juan G. Abarca/Re:wild

Comentários
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Notícias Relacionadas
Sobre o autor
PUBLICIDADE
Receba notícias por e-mail

Digite seu endereço eletrônico abaixo para receber notificações das novas publicações do Conexão Planeta.

  • PUBLICIDADE

    Mais lidas

    PUBLICIDADE