“Não existe pai ‘gay’, existe ser pai!”, diz Thales Bretas, viúvo de Paulo Gustavo, em mensagem linda para o Dia dos Pais

"Não existe pai 'gay', existe ser pai!", diz Thales Bretas, viúvo de Paulo Gustavo, em mensagem linda para o Dia dos Pais

No próximo domingo será celebrado o Dia dos Pais. Assim como outras milhões de pessoas – e crianças -, do mundo inteiro, Gael e Romeu, que completam dois anos agora em agosto, não poderão comemorar a data com um de seus pais, o ator e comediante Paulo Gustavo, vítima da covid-19. Mas seu viúvo, o médico dermatologista Thales Bretas estará ao lado dos filhos, cuidando deles com muito amor, como ele e Paulo sempre fizeram juntos.

Bretas gravou um depoimento lindo que faz parte da campanha para o Dia do Pais #SejaHomemPraSentir da empresa Natura.

“Vida de pai é repleta de desafios, mas nem por um minuto deixamos de dar nosso melhor. Sentir o peso das dificuldades não nos fragiliza, e sim nos fortalece. Porque a vida de um filho é o combustível mais potente na vida de todo pai. Quando a Natura me convidou para contar a minha visão de paternidade, não tinha como não aceitar porque ser pai é a minha vida “, escreveu o médico em seu perfil no Instagram, quando compartilhou com exclusividade o filme da campanha.

No vídeo, de cerca de 2 minutos e 30 segundos, que você confere na íntegra logo mais abaixo, Bretas conta que sempre sonhou em ser pai e formar uma família. “Mas quando me descobri gay, esse sonho foi ameaçado pelo preconceito da sociedade. E eu cheguei a acreditar que esse sonho poderia não ser possível para mim, só que aí eu conheci Paulo Gustavo e tudo mudou porque ele também tinha o desejo de ser pai“, revelou.

“Juntos, a gente viu uma força que poderia quebrar esse paradigma da família tradicional. Depois que a gente se uniu, percebeu que o que importa é o amor. E ter filhos era só multiplicar o amor que a gente já era. E a gente conseguiu trazer à vida os frutos do nosso amor, que são Gael e Romeu”, continuou.

Bretas dá uma mensagem maravilhosa sobre a criação de filhos. Diz que como era sensível quando criança, muitas vezes foi chamado de “chorão”. Mas hoje entende que isso também é um preconceito da nossa sociedade. “No fim das contas, a sensibilidade não é nem masculina nem feminina e aí que percebi que ser homem é também sentir. Porque o ser humano sente. E é assim que eu quero criar meus filhos, sendo fortes o suficiente para se sensibilizarem”.

E após, ele fala uma frase comovente. “Pra mim, não existe pai gay, existe ser pai. E ser pai é cuidar, educar, acolher, crescer junto. Então não tem diferença se é homo ou heterossexual, não muda nada. O que transforma é o amor”.

Que coisa mais linda! Thales Bretas disse tudo.

Leia também:
Nova cédula de £50 homenageia matemático, que quebrou código alemão na Segunda Guerra, e foi perseguido por ser gay
Marvel terá jovem Capitão América gay e protetor dos oprimidos para celebrar 80 anos do personagem
“Eles são filhos de Deus e têm direito a uma família”, diz Papa Francisco ao apoiar união de casais gays
Disney levanta bandeira da diversidade ao mostrar casal gay com filhos em desenho infantil

Imagem: reprodução vídeo campanha Natura

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta