Não bastasse ser o maior peixe dos oceanos, tubarão-baleia ganha novo título: maior onívoro do planeta

Não bastasse ser o maior peixe dos oceanos, tubarão-baleia ganha novo título: maior onívoro do planeta

tubarão-baleia (Rhincodon typu) já tinha o título de “o maior peixe dos oceanos”. Encontrado em regiões do Oceano Atlântico e Indo-Pacífico, esse gigantes pode atingir até 20 metros e pesar 15 toneladas. Inofensivo, alimenta-se de espécies invertebradas, pequenos polvos, krills e plâncton (micro-organismos marinhos).

Mas agora, um novo estudo dos pesquisadores do Australian Institute of Marine Science revela que o tubarão-baleia também é o maior onívoro do planeta, desbancando o até então título do urso-pardo do arquipélago de Kodiak, no Alasca.

São classificados como onívoros os animais que apresentam tanta uma dieta carnívora, como uma baseada em vegetais. Até então sabia-se que os tubarões-baleias que nadam pelo recife de Ningaloo, na Austrália, comiam krills, pequenos crustáceos, semelhantes a camarões.

Mas ao analisar amostras de pele e fezes dos tubarões, eles descobriram que a alimentação deles incluía muitos tipos de plantas.

Primeiramente, foram coletados possíveis alimentos desses animais na área do recife. Em seguida, foram comparados os aminoácidos e ácidos graxos presentes em plânctons e no material vegetal com os existentes nas amostras do tubarões-baleia. E bingo! Eles realmente também apreciam uma dieta mais “verde”.

“Isso nos faz repensar tudo o que acreditávamos saber sobre o que os tubarões-baleia comem”, diz o biólogo marinho Mark Meekan. “E, de fato, o que eles estão fazendo em mar aberto”.

Para ele, havia uma crença de que para serem grandes, animais marinhos necessariamente deviam ser carnívoros. “Em terra, todos os maiores animais sempre foram herbívoros. Já no mar, sempre pensamos que os animais que ficaram realmente grandes, como baleias e tubarões-baleia, estavam se alimentando um degrau na cadeia alimentar de animais semelhantes a camarões e pequenos peixes”, afirma o pesquisador. “Acontece que talvez o sistema de evolução na terra e na água não seja tão diferente, afinal.”

Com a descoberta, os cientistas sabem que os tubarões-baleias de Ningaloo não chegam até ali apenas para se esbanjar na quantidade enorme de krills, mas também, se alimentar de um tipo de alga, muito abundante nessa área.

Não bastasse ser o maior peixe dos oceanos, tubarão-baleia ganha novo título: maior onívoro do planeta

O melhor entendimento do comportamento e hábitos alimentares de uma determinada espécie é sempre muito importante para o planejamento de ações de conservação.

Em 2016, o tubarão-baleia entrou para a lista vermelha das espécies ameaçadas de extinção da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN, na sigla em inglês). Nos últimos 80 anos, sua população caiu pela metade no mundo. De acordo com a entidade, a principal causa é a caça ilegal e a morte provocada por propulsores (hélices) de navios e barcos. Lento para se movimentar, o animal é atingido pelas embarcações da indústria pesqueira.

Leia também:
Tubarão-baleia com corda ao redor do corpo é salvo por mergulhadores no Havaí
Tubarão-baleia entra na lista de animais ameaçados de extinção

Fotos: @ AIMS/Andre Rerekura

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.