Museu do Amanhã é inaugurado no Rio de Janeiro

fachada do museu do amanhã


O amanhã é hoje. E hoje é o lugar da ação
. Com esta proposta, abre as portas o mais novo espaço cultural do Rio de Janeiro: o Museu do Amanhã. A obra grandiosa, criada pelo renomado arquiteto catalão Santiago Calatrava, fica na Praça Mauá, bem no centro da capital, área que está sendo totalmente revitalizada para os Jogos Olímpicos de 2016.

O museu de ciências convida o visitante a fazer uma viagem ao passado, presente e futuro do planeta nos próximos 50 anos. Quer estimular as pessoas a refletir e questionar nosso comportamento no mundo atual – desde seu projeto arquitetônico até suas exposições e instalações internas pulsam com o tema sustentabilidade. Segundo os idealizadores do Museu do Amanhã, ele oferece perguntas, não respostas.

Calatrava se inspirou no formato das bromélias do Jardim Botânico, plantas típicas de regiões tropicais como o Brasil, para desenhar a fachada do edifício.  A cobertura móvel, onde foram instaladas 5.492 placas fotovoltaicas para captar a energia solar, se move ao longo do dia, simulando o movimento de asas, para acompanhar o movimento do sol e assim, garantir a iluminação natural ao interior.

No seu entorno, mudas de espécies nativas da região costeira do Rio de Janeiro foram plantadas no jardim que circunda o prédio, em uma área de 5.500 m2.

Certificado com o selo LEED (Liderança em Energia e Projeto Ambiental), concedido pelo Green Building Council (USGBC), o museu capta água da Baía de Guanabara parar abastecer os espelhos d’água externos e ainda, ser utilizada pelo sistema de refrigeração. Depois  de passar por um processo de purificação, a água é devolvida ao mar. Estima-se que com este sistema serão economizados cerca de 9,6 milhões de água por ano.

Com uma linguagem extremamente moderna, unindo arte com instalações audiovisuais e jogos interativos, o museu se divide em cinco grandes áreas: Cosmos, Terra, Antropoceno, Amanhãs e Nós. Um dos destaques, logo na entrada, é um domo de 360º – o Portal Cósmico. Nele, o visitante irá assistir a um filme de oito minutos, em que fará uma viagem em 4D pelas galáxias, mergulhando no mundo subatômico das partículas e verá ainda o coração do Sol, a formação da Terra, o surgimento da vida e a constituição do pensamento.

Museu do Amanhã

Centenas de imagens do Planeta Terra: o que fazemos hoje impacta nosso amanhã

Produzido pela O2 Filmes, com direção de Ricardo Laganaro e produção do cineasta Fernando Meirelles, o filme faz um passeio poético pela história do universo. “A ideia é que o o espectador se sinta em outro estado de espírito, tire-o da Praça Mauá e ajude-o a baixar o batimento cardíaco e mudar a frequência cerebral”, diz Meirelles.

As exposições do Museu do Amanhã serão constantemente atualizadas. Para elaborar o conteúdo das atrações, foram fechadas parcerias com algumas das principais instituições da ciência no Brasil e no exterior, como o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e o Massachusetts Institute of Techonology (MIT).

Além dos espaços interativos, o museu pretende ser um centro de apoio à educação e cultura, promovendo a realização de encontros, debates e workshops.  O Laboratório de Atividades do Amanhã (LAA) servirá como um hub de discussão sobre os efeitos e resultados das tecnologias exponenciais – como inteligência artificial, internet das coisas, robótica, genômica, impressão 3D, nano e biotecnologia – e o futuro de determinados temas, como trabalho, urbanização, fabricação e alimentação.

Museu do Amanhã

O museu faz uma viagem pela história do universo

O Museu do Amanhã, que demorou cinco anos para ser construído, é uma iniciativa da Prefeitura do Rio de Janeiro. Foi concebido e realizado em conjunto com a Fundação Roberto Marinho e teve o Banco Santander como patrocinador.

A abertura ao público acontece amanhã, sábado (19/12), a partir das 10h. Neste primeiro final de semana, o museu ficará aberto durante toda a madrugada. O ingresso custo R$ 10 (às terças a entrada é gratuita). Pagam meia entrada menores de 21 anos, estudantes, pessoas com deficiência, servidores públicos e moradores do município do Rio de Janeiro e clientes Santander.

Museu do Amanhã

“O amanhã é hoje. E hoje é o lugar da ação” – somos todos responsáveis pelo futuro do planeta

Moradores da região portuária da cidade – distribuídos pelos bairros da Saúde, Gamboa e Santo Cristo e os morros da Conceição, Pinto, Providência e Livramento – têm entrada gratuita no museu, utilizando o programa Vizinhos do Amanhã. A inscrição pode ser feita diretamente no local.

Para chegar à Praça Mauá, o ideal é utilizar transporte público. O site do museu dá todas as dicas.

Museu do Amanhã
Horário:
terça a domingo, das 10h às 18h
Local:
Praça Mauá, 1 – Centro – Rio de Janeiro
Maiores informações na página do Museu do Amanhã

 

Foto: Cesar Barreto/divulgação Museu do Amanhã

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta