‘Mount Recyclemore’: escultura feita com 12 toneladas de lixo eletrônico ‘homenageia’ líderes do G7

'Mount Recyclemore': escultura feita com 12 toneladas de lixo eletrônico 'homenageia' líderes do G7

No próximo fim de semana, os líderes e ministros das finanças dos sete países mais ricos do mundo – Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido -, que compõem o G7, se reunirão em Cornualha, na Inglaterra, para tratar de três questões cruciais da atualidade: a pandemia da covid-19, a recuperação da economia e a democracia ameaçada.

Mas ao chegarem à cidade Angela Merkel, Boris Johnson, Emmanuel Macron, Joe Biden, Justin Trudeau, Mario Draghi e Yoshihide Suga receberão uma homenagem especial: uma grande escultura idealizada pelo artista britânico Joe Rush e construída com 12 toneladas de sucata eletrônica, que retrata os líderes do grupo.

Para criá-la, o artista – conhecido por suas instalações de arte ambiental e colaborações com artistas como Banksy – foi buscar inspiração no famoso Mount Rushmore, que fica em Keystone, no estado de Dakota do Sul, sobre o qual falo mais adiante. E contou com o apoio de uma empresa que recolhe e comercializa lixo eletrônico, a musicMagpie.

Reprodução vídeo

Veja no final deste post um vídeo no qual o artista e o CEO da empresa falam da parceria e do objetivo e ambos.

“Nosso objetivo é trazer à luz a questão global do lixo eletrônico enquanto os líderes das economias mais avançadas do mundo se preparam para discutir como enfrentar as mudanças climáticas e construir um futuro mais verde“, diz o texto que acompanha o vídeo.

Rush também espera que eles atentem para a urgência de se reutilizar e reciclar esses materiais.

Batizada de Mount Recyclemore, a escultura foi construída propositalmente próximo ao Hotel Carbis Bay, em Sandy Acres, na Cornualha, na Baía de Carbis, para que os homenageados possam vê-la quando sobrevoarem a região, ao chegar e ao voltar para seus países.

Países convidados

Como em toda cúpula, os sete líderes convidado países aliados para participar dos debates e reflexões.

Os governantes da Índia, da Coreia do Sul e da Austrália estarão lá e também conhecerão a escultura de Rush e seu apelo.

O Brasil ficou de fora. Levando em conta a forma como o governo brasileiro tem lidado com a pandemia e o meio ambiente, não é surpresa nenhuma que tenha sido ignorado.

O monte original

A obra original exibe os rostos de quatro presidentes dos Estados Unidos – George Washington (o primeiro), Thomas Jefferson (autor da declaração da independência), Theodore Roosevelt e Abraham Lincoln (que lutou pela paz durante a guerra civil e foi assassinado) – e é de autoria do pintor e escultor Gutzon Borglum.

Os primeiros andaimes para a construção foram montados em 1899, mas a obra só foi iniciada em 1927, levando 14 anos para ficar pronta. Os rostos gigantes variam de 15 a 21 metros de altura.

Agora, assista ao vídeo que mostra a localização da escultura na Baía Carbis, e depoimentos de Joe Rush e do CEO da empresa que apoiou o artista:

Foto (destaque): musicMagpie

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Deixe uma resposta