‘Mostra Ecofalante de Cinema’ ganha edição especial na semana do meio ambiente, com filmes e debates online

Este ano, a Mostra Ecofalante de Cinema chega à 9a. edição em novo formato. Desde 2011, o evento tem sido realizado em junho, para celebrar a Semana do Meio Ambiente, e ocupado diversas salas de cinema e centros culturais na cidade de São Paulo, com entrada gratuita. Mas, com a pandemia do coronavírus, seus organizadores tiveram que repensar sua estrutura para manter o compromisso com o público.

O evento continuará grandioso, exibindo filmes inéditos e promovendo debates ao vivo, e terá três momentos importantes em sua programação: Panorama Internacional Contemporâneo, que apresenta os mais novos filmes dos principais festivais de cinema e documentário do mundo; Concurso Curta Ecofalante, competição que premia curtas-metragens feitos por estudantes; e Competição Latino-Americana. Mas não será mais realizado em junho: foi adiado para agosto, entre os dias 6 e 19.

O novo formato trouxe uma oportunidade bastante interessante, como destaca Chico Guariba, idealizador e diretor do evento: “A Mostra já faz parte do calendário da cidade de São Paulo, mas, com esta edição online, podemos expandir o público e o debate para todo o Brasil”. Agora, os brasileiros de qualquer canto do país vão ter acesso a esta curadoria impecável, que apresenta somente filmes e documentários especializados e inéditos, nacionais e internacionais.

Conservação, clima, economia e saúde

Ebola: Sobreviventes/Divulgação

Mas o adiamento não tirou a Mostra Ecofalante da Semana do Meio Ambiente. Guariba explica, “Não poderíamos deixar esta data passar em branco, especialmente neste momento em que a pandemia e a crise política e econômica têm amplificado os problemas socioambientais no Brasil e no mundo”.

Assim, de 3 a 9 de junho, com acesso online gratuito pela plataforma VideoCamp, você pode assistir a cinco prestigiosos títulos sobre conservação ambiental, emergencia climática, economia e saúde, produzidos no Brasil, Canadá, Estados Unidos e Reino Unido. São eles:
Ruivaldo, o Homem que Salvou a Terra, de Jorge Bodanzky e codireção de João Farkas;
Amazônia Sociedade Anônima, que tem Estevão Ciavatta como diretor e Walter Salles como produtor associado;
A Grande Muralha Verde, de Jared P. Scott, que tem produção-executiva de Fernando Meirelles
O Golpe Corporativo, de Fred Peabody; e 
Ebola: Sobreviventes, de Arthur Pratt.

Esses filmes serão o ponto de partida para os debates transmitidos ao vivo pelo YouTube e pelo Facebook da Mostra Ecofalante e para os quais já estão confirmados Meirelles, Bodansky, Ciavatta, além do cineasta Vincent Carelli e dos especialistas Adriana Ramos, do Instituto Socioambiental (ISA); Paulo Artaxo, cientista e professor da USP; Ladislau Dowbor, economista e professor titular de economia da PUC-SP; Daniel Azeredo, procurador do Ministério Público Federal do Pará; Júlia Boock, analista de conservação do WWF-Brasil, entre outros.

No primeiro dia, 3/6, às 19h, Chico Guariba fará a apresentação da Mostra Ecofalante – Especial Semana do Meio Ambiente em muito boa companhia: Laís Bodanzky, diretora-presidente da Spcine. Em seguida, às 19h30, será exibido o último filme de Jorge Bodanzky, Ruivaldo, o Homem que Salvou a Terra, que tem codireção de João Farkas e foi lançado em setembro de 2019 na Bélgica.

Ruivaldo, o Homem que Salvou a Terra/Divulgação

A história aborda as consequências do assoreamento do Rio Taquari (Mato Grosso do Sul) e revela os esforços de Ruivaldo Nery de Andrade para sobreviver no dia a dia, e se destacando como soldado na linha de frente da batalha pela proteção do meio ambiente.

Bodanzky, que foi o diretor homenageado da edição de 2015 do evento, conta que tem “uma relação de longa data com a Mostra Ecofalante, até porque em minha obra sempre abordei temas relacionados às questões ambientais”. 

Ruivaldo pode ser assistido na plataforma VideoCamp a partir das 19h30 de 3/6 e fica disponível até o último dia do evento, 9/6, como O Golpe Corporativo e Ebola: Sobreviventes. Os demais ficam disponíveis apenas por 24h.

A programação

Amazônica Sociedade Anônima/Divulgação

Veja abaixo um resumo da programação. Mais detalhes no site da Mostra Ecofalante.

3 de junho (quarta-feira)
19h – Abertura com Chico Guariba e Laís Bodanzky
19h30 – Ruivaldo, o Homem que Salvou a Terra – Jorge Bodanzky e João Farkas.  
*disponibilizado na plataforma VideoCamp até o final de 9/6 (terça-feira)

4 de junho (quinta-feira)
17h  Golpe Corporativo – Fred Peabody e Ebola: Sobreviventes – Arthur Pratt. 
*disponibilizados na plataforma VideoCamp até o final de 9/6 (terça-feira)
19h – Debate com Jorge Bodanzky e João Farkas, diretores de Ruivaldo, o Homem que Salvou a Terra, Júlia Boock (WWF-Brasil), com mediação de Flávia Guerra.

5 de junho (sexta-feira)
15h – Debate O papel do cinema na comunicação de questões socioambientais, com os diretores Fernando Meirelles, Jorge Bodanzky, Estevão Ciavatta e Vincent Carelli, com mediação de Flávia Guerra.
17h – Amazônia Sociedade Anônima – Estevão Ciavatta (Brasil, 72 min, 2019, livre)
*disponibilizado na plataforma VideoCamp, por 24 horas, até às 17h de 6/06 (sábado).
19h – Debate Conservação: Ataque ao Meio Ambiente e aos Povos Tradicionais, com Adriana Ramos (ISA), Daniel Azeredo (MPF) e Joênia Wapichana (a confirmar), com mediação de Claudio Angelo.

6 de junho (sábado)
17h A Grande Muralha Verde – Jared P. Scott (“The Great Green Wall”, Reino Unido, 92 min, 2019, livre) *disponibilizado na plataforma VideoCamp, por 24 horas, até às 17h do dia 7/06 (domingo).
19h – Debate Emergência Climática: desertificação, conflitos, migrações e outros impactos imediatos, com Fernando Meirelles, Paulo Artaxo, mediação de Daniela Chiaretti.

7 de junho (domingo)
19h – Debate System Error: como o atual sistema econômico leva à destruição ambiental, ao fim do trabalho digno e ao abalo da própria democracia, com Ladislau Dowbor e Ana Claudia Mielke, com mediação de Silvio Caccia Bava.

8 de junho (segunda-feira)
19h – Debate Saúde – Como Comunicar em Tempos de Crise Sanitária e Fake News?, com Douglas Rodrigues e Ana Paula Morales, com mediação de Mariluce Moura.

9 de junho (terça-feira)
Último dia para assistir Ruivaldo, Golpe Corporativo e Ebola, até 23h59.

Fotos: Fotograma do filme A Grande Muralha Verde (destaque)/Divulgação

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Deixe uma resposta