Morre o físico Luiz Pinguelli Rosa, um dos maiores especialistas em energia do país

O físico Luiz Pinguelli Rosa morreu hoje, 3/3, aos 80 anos, na cidade do Rio de Janeiro. Ele estava internado há um mês por complicações da covid-19, mas a causa da morte ainda não foi informada oficialmente. 

Seu irmão, Sérgio Rosa, comunicou seu falecimento no Twitter: “Com muita tristeza participo a partida do meu querido irmão, um homem de bem. Pai dos meus sobrinhos Nando, Duardo e Leozinho – estamos todos muito tristes. A despedida cala fundo. No silêncio me despeço”.

A UFRJ, da qual era professor emérito desde 2013, decretou luto oficial de três dias. Em nota, a reitoria da instituição lamentou sua partida: “Foi um defensor nato da universidade brasileira e da difusão da ciência e da tecnologia”. 

Pinguelli dedicou sua vida à Academia e à ciência.

Foi presidente da Eletrobras durante o primeiro governo Lula (2003/2004), quando a estatal assumiu a gestão técnica e financeira do Programa Luz para Todos, promulgando leis que redefiniram o modelo institucional do setor elétrico.

Também foi secretário-executivo do Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas – durante os governos Lula e de Dilma Roussef (2004/2016) -, criado para estudar o aquecimento global e contribuir para a promoção de políticas públicas.

Representava o Fórum no conselho diretor do Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas até 2016, quando entregou o cargo para Temer por discordar do impeachent de Dilma

Integrou o IPCC – Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas da ONU e era membro da Academia Brasileira de Ciências desde 2003. 

Graduado em Física (UFRJ), mestre em engenharia nuclear (COPPE/UFRJ) e doutor em física (PUC-Rio), Pinguelli também foi pesquisador e professor visitante de diversas instituições pelo mundo, como o Centro Internacional de Pesquisa em Meio Ambiente e Desenvolvimento (França), a Universidade da Pensilvânia e a Universidade Stanford, ambas nos Estados Unidos. 

Foi titular do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa em Engenharia (COPPE/UFRJ), por quatro mandatos. 

De acordo com a UFRJ, as áreas pesquisadas pelo físico recentemente se concentravam em planejamento energético e mudanças climáticas, além da epistemologia e história da Ciência. 

Durante sua trajetória, Pinguelli também se dedicou a pesquisas em engenharia nuclear, física de reatores, física teórica e física de partículas, tendo participado da elaboração de projetos tecnológicos para a usina nuclear de Angra 1.

Luiz Pinguelli Rosa orientou dezenas de dissertações de mestrado e teses de doutorado e recebeu diversos prêmios, entre eles o de personalidade do ano de 2014, da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Fontes: UFRJ, G1

Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.